Como sei que estou em trabalho de parto?

Essa questão era a que mais me amedrontava, e por mais que a minha médica explicasse e eu tivesse lido muita coisa, confesso que o medo do desconhecido era maior kkk Mas, correu tudo bem e como eu havia sido orientada.

Por isso, quis falar deste assunto no blog, para ajudar outras mães receosas com este momento…

Como a gestante pode reconhecer que está na hora de ter neném? Segundo o Dr. Alberto Guimarães, ginecologista e obstetra, presidente do Instituto Michel Odent e autor do livro “Parto Sem Medo”, entre as sinalizações mais frequentes estão o aumento progressivo das contrações e o surgimento de cólicas mais fracas, em um tempo espaçado, até evoluir para uma intensidade maior com um período mais reduzido.

O médico ressalta que, nos primeiros indícios de trabalho de parto, não é preciso correr para um hospital logo que sentir a primeira contração, já que quando as contrações começam, o colo do útero ainda está sendo preparando. “Há fases do trabalho de parto em que a futura mãe passa. As contrações podem durar horas e até dias! Quando a gestante estiver no processo de contrações mais intensas e longas, com um intervalo curto entre elas, isso é um sinal que a mulher está preparada para dar à luz”, explica Guimarães.

O obstetra indica que o auxílio de uma equipe multidisciplinar nesse processo é importante para conferir apoio, ajudá-la a escolher a melhor posição, fazer caminhada ou sentir confortável para escolher o mais adequado para aquele momento, já que a mulher é a protagonista do próprio parto.

Dr. Alberto Guimarães

 

Ginecologista e obstetra, defensor dos conceitos de parto humanizado, presidente do Instituto Michel Odent, o médico encabeça a criação do Programa Parto Sem Medo, um novo modelo de assistência à parturiente onde enfatiza que o parto é um evento de máxima feminilidade e a mulher e o bebê devem ser os protagonistas. Formado pela Faculdade de Medicina de Teresópolis e mestre pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), atualmente exerce o cargo de gerente médico para humanização do parto e nascimento do Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim, CEJAM, em maternidades municipais de São Paulo para o Programa Parto Seguro à Mãe Paulistana.

 

Deixe uma resposta