Alergia Alimentar

pinterest

Muitas mamães ficam aflitas com esse diagnóstico e eu vi isso de perto acontecer com minha irmã, quando ficou sabendo que o seu filhinho tinha problemas com a lactose e glúten.

As dúvidas dos pais, as opiniões diversas, a mudança na rotina alimentar, tudo isso não é fácil, mas se diagnosticado logo, pode evitar o sofrimento do bebê.

Os primeiros sintomas da alergia alimentar no bebê estão, em geral, relacionados com a pele, mas podem também se manifestar na forma de problemas digestivos, como dor de barriga, cólica, barriga estufada, gases, diarréia e eventualmente vômito ou até dificuldades respiratórias.

Uma das maneiras de detectar a intolerância alimentar é fazer uma dieta especial em que determinados alimentos são retirados do dia-a-dia da criança e depois começam a ser reintroduzidos um a um, para observar bem os sintomas e tentar associá-los ao agente causador.

O meu afilhado tinha um aninho quando foi descoberto que ele tinha intolerância, mas antes disso, cada vez que ele ficava com a barriga estufada, com cólica e sem evacuar, eles o levavam ao Pronto Socorro e os médicos diziam ser virose. Até que um dia, ele passou muito mal e uma outra opinião médica detectou. Todos os alimentos foram trocados e depois aos poucos inseridos e hoje ele está totalmente curado! 🙂

pinterest

Algumas regras de alimentação podem ajudar a prevenir o aparecimento das alergias. Nos bebês o sistema imunitário ainda não atingiu a maturidade, por isso alguns alimentos como leite de vaca, ovo, morangos, amoras, pêssegos e kiwis devem ser evitados durante o primeiro ano de vida, assim como o mel, pois ele pode conter esporos de Clostridium botulinum, que, nesta forma, é inofensivo para crianças mais velhas e para os adultos, mas pode causar botulismo nos bebês

O glúten, que é uma proteína presente no centeio, trigo, cevada ou aveia, pode produzir algum tipo de intolerância especialmente se introduzido muito precocemente (antes dos seis meses). Os sintomas desta alergia incluem diarreia, pouco ganho de peso mensal e estômago inchado.
Algumas dicas:
■ A legislação exige que os fabricantes de produtos alimentares para bebês, usem rotulagem clara para ajudar os pais a identificarem potenciais ingredientes a que o bebê possa ser alérgico.

■ Verifique os rótulos de ingredientes toda vez que você comprar. As marcas muitas vezes mudam fórmulas sem aviso prévio.

■ Os sintomas de uma alergia alimentar genuína, como urticária ou chiadeira no peito, ou ainda inchaço dos lábios e da língua, normalmente aparecem até uma hora depois da ingestão do alimento.

■ Dependendo da alergia, tenha sempre um medicamento receitado pelo pediatra na mão. Quando a criança entra na adolescência, ele ou ela pode querer levar uma receita na mão também.

■ Se você desconfiar que seu filho seja alérgico a alguma comida, converse com o pediatra. E não se desespere! A primeira coisa que se deve pensar é que você não está sozinha nisso, existem muitas mamães na mesma situação e consequentemente, uma infinidade de recursos disponíveis para ajudar a manter a criança segura.

Cada fase da infância apresenta um conjunto único de desafios, e por isso, vamos enfrentá-los um de cada vez, e se esse é o seu. Vá em frente, contando com apoio, educação e empenho.

Bjins e até!

Deixe uma resposta