As crianças e a natureza: um futuro com mais emoção

Eu já falei aqui algumas vezes o quanto eu acho importante e valorizo o contato dos nossos pequenos com a Natureza! E fico feliz quando encontro lugares e pessoas incentivando isso…

image

As novas tecnologias já fazem parte da vida das crianças desde que chegam ao mundo. No entanto, os pais precisam mostrar outros caminhos paralelos ao mundo digital. O fundador da Quinta da Estância, Lucídio Goelzer, dá algumas dicas para aguçar a sensibilidade dos pequenos.

Boneca de pano, carrinho de rolimã, peteca e esconde-esconde eram algumas das brincadeiras mais comuns na época de gerações recentes. Ambientados com o clima das ruas e dispostos a correr pelas quadras, as crianças mantinham contato diário com a luz do dia e o cheiro das flores. É dessa forma que Lucídio Goelzer lembra sua infância e juventude. “Éramos felizes com os brinquedos mais simples, construídos por nossos pais no jardim de casa. O contato com a natureza era constante e as crianças certamente desenvolviam de forma mais profunda a sensibilidade”, opina o fundador da Quinta da Estância.

A Fazenda, considerada a maior na área de turismo rural pedagógico do Brasil, é pioneira em ações de educação ambiental para crianças e sensibilização ecológica. “Tudo começou com a ideia de oferecer aos meus filhos um ambiente mais natural. Sempre considerei fundamental esse contato com os animais, com as plantas e com os alimentos”, diz.

Para ele, a chamada Geração Digital ganhou agilidade no raciocínio, mas perdeu um pouco da emoção. Porém, o criador do ambiente que reproduz animais silvestres em vias de extinção, acredita que é possível incluir essas crianças em um ambiente mais saudável. “Não temos como fugir dos tablet’s e celulares de última geração, mas podemos oferecer oportunidades para que eles saiam um pouco dessa rotina digital”, explica.

Referência no desenvolvimento de vivências práticas que promovem formas mais lúdicas e criativas, a Quinta da Estância realiza um trabalho importante nesse processo. “É necessário que a criança tenha seu nível de consciência sobre a natureza e as relações humanas ampliado. Isso não exclui o fato de que ela vai crescer digital, mas equilibra as duas coisas”, explica.

Achei muito interessante!
Ainda eu não fui visitar essa Estância, mas assim que eu for, conto tudo pra vocês 😉

Uma ótima semana!
*Bjins*

Deixe uma resposta