Asma mal controlada traz riscos à saúde

No sábado passado (dia 21) foi o Dia Nacional do Combate à Asma, doença inflamatória crônica das vias aéreas que atinge cerca de 235 milhões de pessoas no mundo. No Brasil, estima-se que 20% das crianças e adolescentes sofram com os sintomas da doença.

Apesar de haver hoje mais acesso aos medicamentos e às informações, isso não se traduz no tratamento correto da doença, o que coloca em risco a vida dos pacientes, principalmente dos que possuem um quadro de asma moderado a grave.

Nesta época do ano, o tempo seco pode levar a crises de tosse, aperto e chiado no peito, principalmente em pessoas com algum problema respiratório, como a asma, que é ainda a 3ª causa de hospitalização entre crianças e adultos jovens.

Responsável por cerca de 2.500 óbitos por ano no país! O numero reflete o comportamento de risco ao tratar somente as crises ao invés de controlar a doença. O Dr. Fabio Castro, alergista e imunologista do Instituto de Medicina Avançada de São Paulo, esclarece as principais duvidas sobre a doença e faz um alerta para a importância do tratamento continuado:

– O que é asma?
Dr. Fabio Castro: A asma é uma doença inflamatória que dificulta a passagem do ar pelas vias respiratórias até os pulmões. Essa condição compromete a respiração e pode gerar uma série de complicações para o paciente, caso não esteja controlada.

– O que causa?
Dr. Fabio Castro: A principal causa é a exposição a substâncias e agentes alérgenos como ácaros, fungos, poluentes, infecções virais. Mas cada pessoa apresenta fatores desencadeantes e irritantes diferentes. Por isso, é muito importante entender o que causa seus ataques e, assim, reduzir o contato com esses agentes, além de buscar o tratamento mais adequado para cada caso.

– A asma tem cura?
Dr. Fabio Castro: Não. A asma é uma doença crônica que não tem cura, mas pode ser controlada. Um paciente asmático será sempre asmático. Mas é possível ficar longe das crises desde que a doença esteja controlada. Evitar o contato com os agentes desencadeadores da asma, conhecer a doença, fazer a técnica inalatória correta, acompanhamento periódico de um especialista e o tratamento adequado com boa adesão são fundamentais para controlar a doença e proporcionar uma vida próxima da normal.

– Qual é a prevalência da doença? Há uma idade em que ela é mais comum?
Dr. Fabio Castro: Existem dificuldades para o diagnóstico de asma nos primeiros anos de vida. Desta forma, só após os 3 anos idade conseguimos nos aproximar mais do diagnóstico de asma.

– As asma pode sumir conforme o crescimento da criança?
Dr. Fabio Castro: É frequente a asma apresentar um melhora na adolescência, com retorno ou não na fase adulta.

– Como diferenciar a asma de outros problemas respiratórios?
Dr. Fabio Castro: Os sintomas da asma são: tosse, falta de ar, chiado no peito e sensação de aperto no peito. É muito importante procurar um médico para que ele faça o diagnóstico correto, porque outras doenças podem ser parecidas.

– Como tratar a asma em criança?
Dr. Fabio Castro: A asma é tratada seguindo três pontos: controle ambiental; medicamentoso; imunoterapia.

– Há alguma contraindicação para quem tem asma? Como evitar as crises?
Dr. Fabio Castro: Desde que a doença esteja sob controle, o asmático pode ter uma vida normal. Para manter a asma controlada e evitar as crises, além de manter o tratamento medicamentoso, é preciso alguns cuidados ambientais como manter o ambiente limpo e arejado; evitar carpetes, tapetes, cortinas, bichos de pelúcia; colocar capas antiácaros nos colchões e travesseiros; evitar produtos de limpeza de cheiro forte; proibir o fumo dentro de casa; limpar filtros de ar condicionado semanalmente.

Também é importante tratar as condições que podem levar ao não controle da asma como outras doenças associadas como a rinite alérgica e o refluxo gástrico.

Mais informações, www.novartis.com.br

Referências:
Organização Mundial da Saúde. Disponível em: http://www.who.int/respiratory/en/index.html
DATASUS: disponível em: http://portal.saude.gov.br/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=23509

Deixe uma resposta