Assimetria craniana

untitled

Vocês já ouviram falar em assimetria craniana?

No ano de 2005, ao completar 4 meses, a filha do médico brasileiro Gerd Schreen foi diagnosticada com plagiocefalia posicional, conhecida também como assimetria craniana, nomes até então desconhecidos por ele e a família. Ao buscar tratamentos no Brasil, o médico e sua esposa se deparavam sempre com as mesmas respostas dos colegas que consultavam: “É preciso se conformar, não há tratamento”. Além disso, minimizavam a importância do problema, considerando o caso “apenas estético”.

Após fazer muitas buscas e estudar sobre o assunto na literatura científica, descobriu que havia uma órtese craniana, uma espécie de capacetinho sob medida que prometia corrigir a assimetria em alguns meses, porém não estava disponível do Brasil. Decidiu então levar o caso para o Dr. Benjamin Carson, no Johns Hopkins, em Baltimore, referência mundial em neurocirurgia pediátrica que os encaminhou imediatamente para o tratamento ortótico.

A família mudou-se para os Estados Unidos. Foram 6 meses de tratamento, e o resultado final foi gratificante. “Foi uma sensação incrível, minha caçula estava ótima. Nunca imaginamos que nos emocionaríamos tanto ao fazer uma “Maria Chiquinha” para o primeiro aniversário dela”, comenta o Dr. Gerd.

O desafio agora era trazer este tratamento ao Brasil, levando em conta a quantidade de crianças que apresentam este problema aqui (cerca de 300 mil ao ano) e que não têm condições de mudar para outro país e pagar pelo procedimento. Foi aí que decidiu fazer uma especialização nos Estados Unidos no tratamento das assimetrias cranianas com órtese. Neste período estabeleceu contato com o melhor fabricante de órteses no mundo, a Orthomerica Inc. e começou a trazer o tratamento ao Brasil. Hoje, a empresa oferece exclusividade no fornecimento de suas órteses em todo território brasileiro.

Dr. Gerd Schreen atua na área há 5 anos, treinou equipes, desenvolveu manuais e materiais educativos, foi a Congressos e tratou pessoalmente mais de 1300 pacientes.

Para ter resultados mais precisos a clínica conta com o STARscanner, também da Orthomerica, o único equipamento capaz de oferecer na hora da consulta, todas as medidas da cabeça do bebê com absoluta precisão, além de fornecer o molde virtual para a confecção da órtese sob medida. O scanner é chamado de Gold Standard, pois nenhum outro dispositivo chega perto de seu grau de precisão. Tudo isso sem uso de radiação e com total segurança para o bebê, levando apenas 1,5 segundos para ser realizado.

untitled2

A Heads – Clínica Dr. Gerd Schreen tem clínicas em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta