Autora Ruth Rocha completa 90 anos

A autora, uma das responsáveis pela evolução da literatura infantil brasileira, e autora de sucessos como Marcelo, marmelo, martelo O Reizinho Mandão, tem planos para continuar escrevendo e lançando obras que falam não só com as crianças, mas também com toda a família

O dia 2 de março de 2021 marca um importante momento para a história da literatura brasileira: neste dia a premiada escritora Ruth Rocha completa seus 90 anos e comemora mais um ano de vida repleta de realizações pessoais e profissionais.

A vontade mostra a disposição e o bom humor que sempre foram características de Ruth ao longo de sua vida. Uma trajetória marcada por 213 livros lançados – 140 pela Editora Salamandra, onde hoje atua como autora exclusiva -com inúmeros contos, crônicas, traduções para o português de obras clássicas e ações das mais diversas, que visam garantir um dos direitos mais básicos da humanidade: o acesso à alfabetização e à educação. 

Mesmo diante da pandemia da Covid-19, Ruth não para de criar e lançar novos títulos. Como um alento para as famílias neste momento, que procuram exatamente formas de estreitar os laços com os pequenos, a escritora presenteou a todos com o seu último lançamento, o Almanaque do Marcelo e da turma da nossa rua, publicado pela Editora Salamandra no fim de 2020. A obra, em coautoria com sua filha, Mariana Rocha, e com ilustrações de Mariana Massarani, traz atividades diárias divertidas e interativas para fazer com as crianças. 

“Enquanto estiver lúcida, quero continuar escrevendo. O mundo é vasto e quero continuar falando sobre ele, lutando por aquilo que é certo, incentivando as crianças a serem cidadãos críticos”, comenta a autora, ao falar sobre seu futuro. Para ela, os 90 anos são apenas um marco. Importante sim, mas não final. 

Amor pelos livros e pelas crianças 

Com mais de 50 anos de carreira e mais de 25 milhões de exemplares vendidos, Ruth sempre foi apaixonada pela literatura. Ouviu da mãe, dona Esther, as primeiras histórias, mas sua vida mudou mesmo quando conheceu Reinações de Narizinho e Memórias de Emília, de Monteiro Lobato. Foi ali, inspirada pelas estrepolias e pela personalidade irreverente da boneca de pano Emília, que Ruth descobriu que a literatura era seu amor de uma vida toda. 

Formada em Ciências Políticas e Sociais pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo, foi aluna do autor de Raízes do Brasil, o historiador Sérgio Buarque de Holanda. Por 15 anos, Ruth foi orientadora educacional do Colégio Rio Branco. A partir de 1972, começou a escrever sobre educação para a revista Cláudia, e posteriormente para a revista Recreio.

De lá para cá, a autora não parou e criou clássicos como Marcelo, marmelo, martelo – seu best-seller e um dos maiores sucessos editoriais do país, com mais de setenta edições e vinte milhões de exemplares vendidos -, O Reizinho Mandão – incluído na “Lista de Honra” do prêmio internacional Hans Christian Andersen -, e muitos outros. Sua versão da Declaração Universal dos Direitos Humanos, feita em parceria com Otávio Roth, teve lançamento na sede da Organização das Nações Unidas, em Nova York, em 1988. 

Ruth recebeu prêmios de diversas associações pela sua contribuição à literatura e à educação brasileira: Academia Brasileira de Letras, Associação Paulista dos Críticos de Arte, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, o prêmio Santista, da Fundação Bunge, o prêmio de Cultura da Fundação Conrad Wessel; a Comenda da Ordem do Mérito Cultural e oito vezes o prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira de Letras. Também foi homenageada pelas escolas e municípios, com seu nome batizando centenas de bibliotecas pelo país. 

 

Deixe uma resposta