Bebê a bordo: saiba como preparar um quarto seguro e aconchegante para a chegada do seu filho

Especialista traz dicas para ajudar futuros pais a planejar a decoração do quarto do bebê

Entre consultas médicas, escolha de nomes e chás de bebê, a decoração do quarto é um dos momentos mais esperados pelos pais que aguardam a chegada de um filho. Na escolha de peças para montar o melhor ambiente possível, os adultos costumam se encantar com as inúmeras opções decorativas, tendo dificuldade de decidir quais as melhores opções para o espaço. A situação fica mais complexa quando a família se depara com a importância da funcionalidade dos móveis, o espaço disponível e a necessidade de combinar itens e cores.

Para a CEO e arquiteta da ArqExpress, Renata Pocztaruk, apesar da ansiedade natural de ver o projeto pronto, montar um quarto de bebê não exige muito. Entretanto, os itens escolhidos devem ser de qualidade e com alto nível de segurança. “Preparar o quarto é uma das fases mais gostosas e divertidas da gestação, porém os pais devem se atentar à qualidade e segurança de berços, cômodas e cadeiras para amamentação. E essas peças são o suficiente para o espaço”.

Para ajudar os futuros pais, a executiva traz dicas práticas e importantes neste momento tão especial. Confira!

Planejamento – a palavra de ordem: antes de estruturar um projeto de décor para o quarto do futuro bebê, é preciso pensar na saúde financeira. Por isso, é importante pesquisar preços e entender o que se encaixa no orçamento disponível.

Móveis funcionais e seguros: antes de comprar os móveis, é importante checar a metragem do cômodo para evitar problemas com a falta de espaço. Após a medição, opte por peças que se encaixem no ambiente, mas que também ofereçam praticidade no dia a dia. A segurança é outro ponto importante. Certifique-se de que berços, cômodas e poltronas de amamentação possuem selo de segurança. “Na hora de escolher o berço, veja se os critérios de segurança atendem às exigências do INMETRO”, alerta a executiva.

Colorir é arte, com cuidado: na hora de ambientar o local, as cores geram indecisão. Antigamente era comum pintar tudo de azul ou rosa, mas os pais podem brincar com uma ampla cartela de tons. Porém, é recomendável optar por paletas neutras ou suaves, pois, além de contribuir para sensação de aconchego, as crianças pequenas são mais sensíveis às cores fortes.

Detalhes que encantam: quadros, ursos, cortinas ou mural de fotos trazem personalidade ao dormitório. Aos pais que preferem cores marcantes na decoração, vale apostar nesses tons em prateleiras, almofadas e tapetes pequenos. “Os detalhes vão fazer a diferença no resultado final. É importante balancear os elementos usados com as cores do espaço”, orienta Renata.

Deixe um comentário