Bons hábitos alimentares começam desde muito cedo

Ter uma rotina alimentar saudável desde a infância, proporcionará uma excelente qualidade de vida.

Eu acredito muito nisso, e é assim que tento educar o Pedrinho, com uma alimentação equilibrada e sem neuras. Ele tem o dia certo para comer umas guloseimas ou outra coisa que queira. Libero esporadicamente e ele já está acostumado. Come muitas frutas e adora. Já os legumes e verduras são em menores quantidades, mas também está no cardápio. E por aí, como funciona?

Evitar que os pequenos ingiram alimentos não saudáveis é complicado, pois, a grande maioria, prefere comidas desse tipo, porém a médica Márcia Simões da Eden Clinic, em Curitiba, alerta, “a má alimentação e a falta de atividade física sem dúvida são os principais motivos pelo aumento da obesidade no Brasil e no mundo, hoje 10% das crianças brasileiras tem obesidade e a tendência nos próximos anos é que esse número aumente, por isso o cuidado com a alimentação delas é primordial. As maiores queixas dos pais são sobre a resistência das crianças ao comer determinados alimentos e a interferência de outras pessoas que oferecem alimentos não saudáveis para elas”.

Com isso, os pais devem estar atentos na alimentação, de acordo com a médica, “para a criança o mais importante é a qualidade, na maioria dos casos de sobrepeso somente a troca da alimentação industrializada por alimentos saudáveis como frutas, verduras, legumes, carnes, oleaginosas (castanhas, nozes, etc) dentre outros já é suficiente para regularizar o peso ou simplesmente conservar a saúde. Não havendo na maior parte dos casos a necessidade de racionamento do alimento saudável, pois a criança tem um alto gasto calórico diário”, ou seja, ou invés de mudar radicalmente a alimentação, troque por opções saudáveis, assim a criança mudará os hábitos ruins para os saudáveis.

 

É comum em escolas, os alunos levarem os lanches, normalmente, são salgadinhos, achocolatados, entre outros. Porém, os pais, devem incentivar uma mudança saudável na alimentação, para que na vida adulta seus filhos não desenvolvam doenças como hipertensão ou diabetes. De acordo com a médica Márcia Simões da Eden Clinic, em Curitiba, é possível organizar uma opção saudável e nutritiva para a lancheira, “pensar sempre em alimentos coloridos e apetitosos”, isto é, alimentos que despertem a vontade da criança, como sugere a médica, por exemplo:

  • Frutas;
  • Lascas de coco;
  • Castanhas do para, de caju;
  • Nozes;
  • Macadâmia;
  • Amendoim;
  • Cenoura baby;
  • Sanduiches de carne moída ou frango desfiado utilizando o pão low carb (feito com farinha de coco ou banana verde ou amêndoas ou castanhas);
  • Ovos cozidos;
  • Chás sem açúcar ou adoçados com açúcar de coco.

Outra forma de incentivar, é levar a criança as compras, como explica a médica, “Leve o seu pequeno de forma lúdica nas compras em frutarias ou lojas de produtos naturais, mostrando para ele as diferentes opções, fazendo com que ele prove coisas diferentes e crie interesse e prazer por aquilo, invente uma lista, charadas, caça ao tesouro, envolva a criança na atividade e depois que ela criar o hábito fica muito mais fácil. Ao montar a lancheira ou o prato do almoço peça ajuda da criança, disponha os alimentos no formato de bichinhos ou caretas”, ou seja, o envolvimento dela despertará maior vontade de ingerir os alimentos saudáveis.

Desta maneira, os pais tem função primordial na educação alimentar, como afirma a médica da Eden Clinic, “o papel dos pais é fundamental eles precisam ser o bom exemplo comendo também esses alimentos e não comprando coisas que a criança não deve comer e principalmente não deixando os armários cheios de más opções, pois assim a criança sabe que se não comer o que está no seu prato depois pode comer o que está no armário”, ou seja, a cobrança não precisa de forma repetitiva e cansativa, mas o exemplo é melhor, pois, com isto os filhos seguirão, visto que os pais são os modelos principais.

De acordo com a médica, além dessas maneiras, um simples passeio, também ajudará no desenvolvimento da criança, conforme explica, “aproveite sempre os finais de semana para aqueles passeios em família em parques, clubes, fugir um pouco dos locais aonde a criança vá ficar parada e sem atividade. Incentivar, apoiar e participar é o ponto chave que os pais devem oferecer para a criança ter sucesso no processo” isto é, os pais devem ser os principais, modelos e incentivadores.

A atividade física é importante e indispensável, mesmo na infância, como ressalta a médica, “os exercícios físicos são extremamente importantes para o desenvolvimento saudável do corpo, mente e também da parte sociológica da criança que desenvolve laços e amizades como nos jogos e esportes por exemplo.

Para a criança as atividades devem ser divertidas e lúdicas para que ela sinta prazer e queira continuar praticando e leve isso para a vida adulta com a criação de um novo hábito que perdura por toda a vida”, ou seja, criar o hábito de atividade física é fundamental para o desenvolvimento da criança, em amblos os sentidos, sociais, mentais e físicos.

De acordo com a médica, “crianças que praticam atividades frequentes tem menos chance de desenvolver obesidade e maior possibilidade de manter uma vida ativa quando adulta. Ótimas opções de exercício são jogos, esportes, natação, caminhadas em parques, andar de bicicleta dentre outros”, não importa a atividade física, desde que a criança goste e tenha vontade de praticar.

Serviço: Eden Clinic

Dra. Márcia Simões

Médica da Eden Clinic

CRM PR 33.207

Deixe uma resposta