Brincar é preciso!

Vamos brincar? Vai brincar! Já falei bastante sobre isso. Eu sou uma mãe que brinca e estimula a brincadeira , e você?

Pode parecer assunto de criança, mas é coisa séria. Tanto que o tema ganhou destaque na Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e hoje tem um dia só para lembrar como a atividade é fundamental para o desenvolvimento das crianças de todo o mundo: amanhã, dia 28 de maio, comemoramos o Dia Mundial do Brincar. E é em torno deste tema que diversas organizações, empresas, pais e profissionais se reúnem. Será que estamos garantindo às nossas crianças esse direito fundamental, que faz parte do desenvolvimento delas?

Em tempos de tecnologia, tirar os pequenos da frente do computador, do vídeo game ou do celular nem sempre é fácil. Mas aquela velha brincadeira de esconde-esconde, a interação com brinquedos manuais e com outras crianças precisa voltar a fazer parte da rotina dos nossos filhos.

O excesso de atividades, que não permite um tempo livre para o simples brincar, inclusive, pode ser prejudicial ao desenvolvimento das crianças. Prova disso é uma pesquisa realizada em São Paulo e no Rio Grande do Sul, coordenada pela presidente da International Stress Management Association (Isma BR), Ana Maria Rossi. O estudo mostrou que oito em cada 10 crianças de 7 a 12 anos apresentam problemas de alteração de comportamento originados do estresse.

Uma atividade a mais na rotina dos pequenos não vai afetar a infância, desde que seja algo que eles queiram fazer, mas é muito importante que eles tenham tempo para brincar, criar e imaginar. Ou seja, fazer coisas de criança. “As aulas adicionais são importantes também para a socialização e o desenvolvimento. O problema é quando as atividades extracurriculares tomam todo o tempo e a criança não consegue se divertir nem descansar. Às vezes, ela precisa de um tempo consigo mesma e os seus brinquedos favoritos.

image146

Fases diferentes
As brincadeiras permitem que as crianças imaginem e coloquem em prática histórias e fantasias. Além disso, é brincando que as habilidades motoras, intelectuais, cognitivas, emocionais e sociais são exercitadas e melhoradas. Os bebês podem brincar com chocalhos, móbiles e objetos coloridos e que transmitem sons. Além disso, brinquedos que estimulam os primeiros movimentos também são essenciais. A partir de um ano, os pais podem oferecer ferramentas que auxiliam no caminhar e pecinhas de encaixar, com formas geométricas, por exemplo.

Quando as crianças estão um pouco maiores, por volta dos três, quatro anos, elas começam a se espelhar nos pais e reproduzem situações do cotidiano dos adultos. Por isso, brinquedos como carrinhos, panelas e ferramentas fazem tanto sucesso nessa faixa etária. É sempre importante que os pais saibam que é brincando e se divertindo que as crianças mais aprendem.

Quem alerta para a questão é a especialista da Calesita Brinquedos, Bruna Leal. “Brincadeiras com amigos da mesma faixa etária são essenciais para o desenvolvimento saudável dos pequenos. O brincar estimula o desenvolvimento da coordenação motora, a atenção, a criatividade e a memória”, diz.

Bjins

Deixe uma resposta