Canção dos Direitos da Criança estreia amanhã

untitled

Essa semana aconteceu a coletiva de imprensa do musical infantil: Canção dos Direitos da Criança

E você sabe quais são esses direitos?

Declaração dos Direitos da Criança e do Adolescente

1. Todas as crianças são iguais e têm os mesmo direitos, não importa sua cor, raça, sexo, religião, origem social ou nacionalidade.
2. Todas as crianças devem ser protegidas pela família, pela sociedade e pelo Estado, para que possa se desenvolver física e intelectualmente.
3. Todas as crianças têm direito a um nome e a uma nacionalidade.
4. Todas as crianças têm direito a alimentação e ao atendimento médico, antes e depois do seu nascimento.

Esse direito também se aplica à sua mãe.

5. As crianças portadoras de dificuldades especiais, físicas ou mentais, têm o direito a educação e cuidados especiais.

6. Todas as crianças têm direito ao amor e à compreensão dos pais e da sociedade.

7. Todas as crianças têm direito à educação gratuita e ao lazer.

8. Todas as crianças têm direito de ser socorrida em primeiro lugar em caso de acidentes ou catástrofes.

9. Todas as crianças devem ser protegidas contra o abandono e a exploração no trabalho.

10. Todas as crianças têm o direito de crescer em ambiente de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos.

Para a diretora, um dos desafios de seu trabalho foi criar um espetáculo sobre os direitos das crianças sem ser didática. A estratégia foi mesclar o período histórico do começo da Revolução Industrial com a linguagem clownesca. Os personagens das crianças, todos com trejeitos e personalidade, geram uma simpatia quase imediata com o público. “As crianças acabam se identificando com os personagens”, conta Carla. Os ensaios contaram com a participação crítica de Inácio e Regina, filhos de Carla Candiotto e Carol Badra, respectivamente.

A ambientação remete à era vitoriana, em meio à Revolução Industrial. Engrenagens, polias e chaminés complementam o cenário de um mundo que começa a ser regido pelas máquinas e onde as crianças são obrigadas a trabalhar mais do que gente grande. No desenrolar da história, a cenografia se desdobra e revela também objetos circenses e coloridos, e personagens característicos como o leão, o elefante e a bailarina, elementos que levam o público a um verdadeiro conto de fadas

untitled2

Com músicas de Toquinho e Elifas Andreato, o espetáculo traz o mais importante entre todos os trabalhos musicais do violonista, cantor e compositor Toquinho para o universo infantil, o disco Canção dos Direitos da Criança (interpretado por grandes nomes da Música Popular Brasileira, como Chico Buarque, Elba Ramalho e Leonardo).

Inspirado na Declaração Universal dos Direitos da Criança, Toquinho e Elifas compuseram 10 músicas, cada uma para um dos 10 princípios aprovados pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em novembro de 1959. Para dar vida às canções e encenar o espetáculo, a premiada diretora Carla Candiotto (prêmios APCA e Coca-Cola Femsa) foi buscar na história a origem dos direitos da criança. Encontrou conteúdo na figura de uma intelectual, escritora e humanista inglesa, pioneira do movimento em defesa dos direitos da criança, Eglantyne Jebb (1876-1928).

Divertido e atual, o texto do espetáculo foi criado pela diretora durante os ensaios. A montagem tem o estilo característico de Carla Candiotto (criadora da premiada Cia Le Plat du Jour, ao lado de Alexandra Golik) – rápidas movimentações, corre-corre, cenas limpas e bem desenhadas, ação concentrada em um personagem para facilitar o entendimento dos pequenos, luta e bordões que marcam cada tipo.

untitled3

Com 60 minutos de duração, a peça dosa na mesma medida texto e música (foram selecionadas 7 das 10 canções do disco para integrar o musical), entre elas Gente tem sobrenome, É bom ser criança, Imaginem, Natureza distraída, Herdeiros do Futuro e Aquarela, a única que não faz parte do disco A Canção dos Direitos da Criança.

Cada uma das crianças do reino tem características bem peculiares. Há o rapaz inteligente mas prolixo, que faz todos os amigos dormirem com suas explicações; a menina cheia de ideias mirabolantes, que se expressa com a linguagem do rap, e o garoto ingênuo e bondoso, que sempre é escolhido para encarar as aventuras decididas pelo grupo. A paixão pela turma, bordões e brincadeiras de quente e frio ajudam a deixar o espetáculo ainda mais identificado com o universo da garotada.

A Rainha criada para Canção dos Direitos da Criança foge do estereótipo de poder e malvadeza de outras histórias infantis. A personagem solitária vive a conversar sozinha ou com o agressivo cachorro Vulcão. Seu motivo para ser tão má parte de um grande segredo revelado apenas no final da peça.

Eu e os jornalistas viram um trecho do musical na coletiva e fiquei encantada. Vou levar o Pedro com certeza 🙂

Serviço

Local: Teatro Shopping Frei Caneca – Rua Frei Caneca, 596-7o andar – Consolação.
Lotação: 600 lugares
Temporada: de 12 de setembro a 1º de novembro
Sábados e domingos às 16 horas
Duração: 60 minutos
Classificação indicativa: Livre

Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia)

Deixe uma resposta