Cinco dicas sobre como abordar a vacinação infantil com as crianças

Brasil conta com baixa na taxa de cobertura vacinal e probabilidade de retorno da Poliomielite, doença contagiosa que causa paralisia infantil

O momento da vacinação infantil pode ser visto por muitas famílias como pouco agradável, tanto para os pais, que têm que lidar com o medo dos pequenos na hora da vacina, os choros e, muitas vezes, com o próprio desconforto em pensar que o filho irá sofrer com a vacina, quanto para os filhos, que sofrem em pensar na temida agulha e na dor.

Mas a vacinação é necessária para garantir a saúde dos pequenos e existem formas de tornar essa experiência menos incômoda para os pequenos, a fim de evitar futuros traumas. Separamos cinco dicas para ajudar as famílias a abordarem a vacinação com as crianças.

• Informe seu filho/a criança sobre os benefícios da vacinação

Experimente explicar o papel da vacina com uma linguagem didática e lúdica, dizendo que ela deixará o filho ‘mais forte’, que ficará menos doente e que é uma ‘picadinha’ rápida”.

• Explique para ele sobre como será o procedimento

Fale para seu filho como será o procedimento e dê o apoio que ele espera receber. Não minta dizendo que não vai doer, seja sincero. O Almanaque Infância e Afeto , criado a partir de uma parceria entre a Leiturinha e a Sanofi Pasteur, é um bom material para auxiliar as famílias a abordarem a vacinação de forma lúdica e divertida. Nós recebemos ele em casa e adoramos.

• Use do reforço positivo na hora da vacinação

Se a criança começar a chorar na hora de levar a picada, não a repreenda. Pelo contrário: a acolha e acalme. Diga que não tem problema chorar e que você está ali para ela. Nessas horas, reforce a importância da vacina e diga que será um procedimento rápido.

• Ofereça recompensa após a vacinação

Recompensas podem ser oferecidas após a vacina para parabenizar a criança, mas de forma consciente. Oferecer doces e comida não é a recompensa ideal, sugerimos outras formas de agradar o pequeno como passeios, atividades lúdicas, livros, ou seja, atividades que estimulem a criança de forma saudável.

• Converse sempre que for vacinar

Se um novo momento de vacinação for necessário, retome a conversa e reforce que vai doer um pouquinho, mas será rápido, como das outras vezes, e que vai ficar tudo bem. É legal também relembrar a importância da vacinação para a saúde da criança e dos adultos também.

Deixe um comentário