Como os pais podem ajudar os filhos a ficarem mais seguros na Internet

Saiba como educar, monitorar e indicar bons conteúdos para crianças navegarem pelo mundo digital com qualidade 

Segundo os dados mais recentes de uma pesquisa sobre segurança on-line realizada pelo Google, as principais preocupações dos pais e responsáveis em relação aos filhos na Internet são o acesso a conteúdos inadequados (55%), cyberbullying (14%) e o compartilhamento de informações em redes sociais (10%). 

Seja Incrível na Internet é um programa do Google voltado a ajudar pais e educadores a lidarem com essas preocupações, ficando por dentro das melhores formas de conversar e instruir as crianças sobre segurança on-line e cidadania digital. 

O site conta com dicas, atividades e ferramentas para preparar crianças para usar a Internet de modo consciente e seguro. E o programa — composto pelo Guia da Família Currículo para educadores, jogo educativo Interland , guia de Bem-estar Digital e outros recursos — divide-se em cinco grandes lições: 

• Compartilhe com cuidado: incentive o cuidado na hora de compartilhar informações e conteúdos na Internet, tratando a comunicação on-line da mesma forma que a offline. A dica aqui é criar regras sobre o que é ou não é adequado compartilhar na rede, tendo como foco a segurança dos dados pessoais de amigos e familiares. 

• Não caia em armadilhas: é importante mostrar às crianças que, na Internet, as pessoas e situações nem sempre são o que parecem. Saber identificar o que é real ou falso é fundamental para a segurança on-line. Desinformação e phishing são alguns exemplos de armadilhas sobre as quais os pais podem conversar com seus filhos. 

• Proteja seus segredos: a segurança e a privacidade são tão importantes na Internet quanto na vida real. Proteger informações valiosas ajuda as crianças a evitar danos a dispositivos e problemas com a reputação e os relacionamentos delas. Aqui, os pais podem aproveitar para ensinar seus filhos sobre a importância de pensar senhas difíceis e de não repeti-las em plataformas diferentes. 

• É legal ser gentil: nem sempre os pais conseguem ter controle total das interações dos filhos na internet. Para ajudá-los a fazer sempre a melhor escolha possível, esta seção reúne dicas de como usar a Internet de modo positivo, respeitando diferenças, enfrentando comportamentos negativos como bullying e assédio, e apoiando pessoas que estejam sendo vítimas de algo desse tipo. 

• Na dúvida fale com alguém: crianças precisam saber que não estão sozinhas e que, caso encontrem algo questionável ou ofensivo, on-line ou offline, devem ser corajosas e se sentir à vontade para conversar com um adulto de confiança. Saber como denunciar conteúdos inapropriados contribui na prática cidadã. 

Assumindo o controle 

Para quem tem crianças em casa, coordenar tarefas domésticas com trabalho e ainda conseguir dar atenção aos filhos pode ser um grande desafio. O que dizer da tarefa de acompanhar quanto tempo os pequenos estão passando on-line e, ainda mais importante, fazendo o quê? 

Segundo a pesquisa de segurança on-line realizada pelo Google, os pais ficam preocupados principalmente em saber se os filhos estão cumprindo com o período máximo de uso de internet combinado entre eles (33%), como também se estão acessando conteúdo que os pais não aprovam (28%). 

Family Link pode ajudar os pais que compartilham dessas preocupações: determinando limite de tempo e restringido os conteúdos que podem ser acessados. O aplicativo (disponível para Android iOS ) permite aos pais os seguintes recursos: 

• Limites diários de tempo de tela 

• Hora de dormir 

• Restrições de conteúdo e aprovações de aplicativos 

• Relatórios de atividade de aplicativos 

• Localização do aparelho em tempo real 

• Bloqueio remoto do dispositivo 

É importante que os pais ou responsáveis possam conversar e explicar às crianças por que esses limites e controles são tão importantes para elas. Aos pais em busca de sugestões de como conduzir esse diálogo, o guia de Bem-estar Digital pode ajudar, mostrando ainda como as famílias podem ter conversas mais conscientes sobre tecnologia e identificar momentos para se desconectar e dar prioridade ao convívio pessoal. 

YouTube Kids 

Para usuários menores de 13 anos, o YouTube Kids é a plataforma recomendada: por lá, as crianças vão encontrar conteúdo apropriado, e os pais podem personalizar essa experiência, determinando limites de tempo de tela, bloqueando vídeos ou canais, e restringindo o recurso de pesquisa. 

Deixe uma resposta