Como proteger bebês e crianças contra Aedes Aegypti

SONY DSC

A ameaça desse mosquito Aedes Aegypti tem preocupado todas nós.  Hoje mesmo vi no Jornal SP TV que a Anvisa fez um teste com os repelentes disponíveis no mercado, onde a maioria teria menor tempo de duração na pele do que estava escrito na bula (absurdo).  O repelente que o pediatra do Pedrinho indicou é o Extreme Exposis Infantil . Ele está em falta na maioria das farmácias devido a grande procura!  (quem achar, me avisa).

A preocupação em proteger os filhos é sempre constante, ainda mais com essa iminente ameaça que o mosquito Aedes Aegypti representa à saúde de todos, inclusive das crianças, trazendo o vírus da dengue, chikungunya e agora o zika vírus. Segundo dados recentes da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 50 milhões de pessoas no mundo são infectadas pela dengue.

Embora alguns repelentes possuam duração de proteção limitada, estudos recentes mostram que a Icaridina é o princípio ativo com ação prolongada e repele todos os mosquitos, inclusive o mosquito da dengue.

Uma novidade para as mamães de bebes , é a Linha Baby Protect da Mini&Kids para proteger os pequenos de mosquitos e outros vetores através da roupa.

babyprotect2

Todas as peças da linha são confeccionadas em Suedine com um componente ativo em sua trama, a fragrância de Citronela, que é um excelente repelente natural. A substância é liberada pela ruptura de microcápsulas que permite a durabilidade nas lavagens. Não altera a característica do tecido, mantendo a maciez e o conforto.

A citronela possui substâncias que afastam os mosquitos e a principal delas é o geraniol, que combinada com outras, estão contidas no óleo essencial de citronela que fica armazenado em locais especiais nas folhas da planta.

Vale a pena pesquisar para testar. Achei bem bacana.

 

Para ter mais informações:

SAC

(43) 3375-6617

www.gbaby.com.br

https://www.facebook.com/gbabyindustria

@gbabyoficial

 

 

IMPORTANTE: A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Deixe uma resposta