Confira 7 dicas sobre o que fazer com as crianças na Semana do Brincar

Essa semana, de 24 a 30 de maio, acontece a Semana Mundial do Brincar 2021 – data reconhecida pela UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e celebrada em mais de 40 países

Mas brincar durante a primeira infância não é algo que precisa necessariamente envolver brinquedos extravagantes, quebra-cabeças ou bolas. Especialmente nos primeiros anos, o brincar tem mais a ver com as interações significativas entre os pais e seus filhos . “Brincadeiras repetitivas proporcionam uma sensação de previsibilidade e ordem. Com o esconde-esconde, por exemplo, estamos ensinando às crianças sobre a relação entre ação e reação. Esta é a base de toda a comunicação: eu faço algo, e você faz algo em resposta”, explica Nathalia Pontes, psicopedagoga, mestre em educação e gerente de produto do Kinedu.

Há um incentivo ao desenvolvimento associado às brincadeiras. Segundo a especialista, as crianças são biologicamente programadas para querer brincar, pois é por meio das brincadeiras que bebês e crianças exploram o mundo e aprendem. “Quando um bebê segura uma bola, ele está desenvolvendo a coordenação motora. Quando você produz o som com um chocalho, o bebê reage fazendo contato visual com você e o objeto”, destaca.

Especialistas do Centro de Desenvolvimento Infantil da Universidade de Harvard descobriram que o sucesso ou o fracasso de uma criança depende da relação que ela tem com os adultos durante a infância . “Resumindo: o que importa é a qualidade, e não a quantidade de tempo. Quando as brincadeiras têm um objetivo, mesmo que durem apenas 5 minutos, são melhores para as crianças”, enfatiza Nathalia.

Confira 4 benefícios do brincar :

• Crianças que brincam ativamente durante 1 hora por dia pensam de maneira mais criativa e conseguem realizar várias tarefas ao mesmo tempo.

• Conversar e interagir com o seu filho é uma forma de brincar. A frequência das conversas que um bebê tem aos 11 ou 14 meses prevê a quantidade de palavras que ele conhecerá aos 2 anos.

• As brincadeiras ajudam a desenvolver as habilidades do século XXI, como a colaboração, a resolução de problemas e a criatividade.

• Brincar ajuda a melhorar as habilidades sociais, pois dá às crianças oportunidade para ler sinais, ouvir as outras pessoas e ver as coisas pela perspectiva dos outros (Mardell et al., 2016).

Confira 7 sugestões do Kinedu para brincar com as crianças em casa:

1. Acampadentro – cabanas e tendas dentro de casa

Com alguns materiais que você tem em casa mesmo, dá para fazer um divertido acampamento na sala. Se tiver uma barraca, você pode montá-la. Se não tiver, basta pegar alguns lençóis e cadeiras para levantar uma tenda. Coloque almofadas no chão para ficar confortável e pegue algumas comidas e bebidas. Disponha de lanternas para você, seus filhos e outros participantes, e comecem a brincadeira! Finjam que estão em uma floresta, contem histórias, brinquem de adivinhação, comam algo gostoso e se divirtam! Se a cabaninha estiver cômoda, vale até passar a noite todos juntos e acampados.

2. Minha massinha

Nessa brincadeira, a proposta é produzir a própria massinha em vez de usar uma pronta.

Para isso, separe 1 xícara de amido de milho, 1 faca de plástico, 100 gramas de creme hidratante, 1 pote, 1 colher e glitter. Chame o seu filho para brincar em um local em que possam fazer uma pequena bagunça, como uma mesa fácil de limpar. Peça para que ele despeje o amido de milho na tigela e misture o creme hidratante utilizando a colher.

Depois, junte o glitter para que a massinha fique bonita e brilhante. Se a massa estiver pegajosa, coloque mais amido. Se estiver muito seca, acrescente mais creme hidratante. O ideal é que fique macia e suave. Então, deixe que seu filho brinque à vontade.

Você pode sugerir que ele faça bolinhas, cordões, quadrados e outras formas, além de usar a faca de plástico para cortar e moldar. Deixe que ele solte a imaginação! Quando cansar, basta guardar a massinha em um pote para brincar mais tarde.

3. Contação de histórias inventadas

Para estimular a imaginação, a criatividade e o repertório do vocabulário, que tal sugerir uma história inventada? Você pode começar com o “era uma vez” e pedir para que seu filho invente uma segunda parte. Se tiver mais pessoas na brincadeira em casa, é interessante que cada participante invente um trecho da história. É garantia de muitas risadas de tão engraçado que fica com as situações criadas por todos.

4. Show de talentos

Seu filho tem um talento especial? Que tal incentivá-lo com um show de talentos? Depois de decidir qual será a apresentação (dança, teatro, mágica, canto etc.), vocês podem fazer um ateliê para confeccionar o figurino. Fantasias, máscaras, acessórios, glitter e tintas podem se transformar em trajes incríveis. Escolha um local apropriado para improvisar um palco e chame todos que moram com vocês para serem espectadores. Por fim, deixe que o pequeno faça o show e em seguida os demais podem também revelar seus talentos.

5. E depois, o que aconteceu?

A conversa é sempre uma boa forma de aproximação. Para incentivar o seu filho a falar sobre os eventos do cotidiano, você pode fazer essa atividade. Sentados em uma mesa com folhas de papel e giz de cera, peça para o seu pequeno desenhar uma história sobre 2 amigos. Assim que terminar, peça para que ele conte o que acontece nessa história, estimulando a conversa. Faça perguntas simples, como: quem é cada um no desenho, as cores e formas, e o que aconteceu depois? Estimule o seu filho a desenvolver a narrativa.

6. Caça ao tesouro

A caça ao tesouro é uma brincadeira para fazer em casa que também pode acontecer ao ar livre. Ela pode ter vários temas, como tesouro do pirata ou do rei. Escolha alguma temática para preparar a história e os materiais. Encape uma caixa de sapatos como se fosse um baú e encha com algum brinde. Faça as pistas, que podem ser charadas, pague um mico ou “o que é o que é”, lembrando que a complexidade deve ser de acordo com a idade da criança. Quanto mais nova a criança, mais fácil as pistas devem ser e a caça ao tesouro deve ter curta duração.

7. Brincar com os animais

Escolha um livro sobre animais e chame o seu pequeno para se sentar em um lugar confortável. Comece a ler a história dos bichos e veja se o seu filho presta atenção durante a leitura. Mostre os diferentes animais e imite os sons que eles fazem para ver se a criança reconhece cada um deles. Caso não reconheça, você pode explicar para o pequeno qual bicho é. No final da história, em famílias, vocês podem fingir ser os animais e com a imaginação contextualizar a brincadeira.

Deixe uma resposta