CONTEÚDO DIRECIONADO PODE AJUDAR A EVITAR CASOS COMO ‘BALEIA AZUL’

A notícia sobre o “jogo” Baleia Azul, que incita crianças e adolescentes a cometerem o suicídio após “cumprirem” 50 etapas, voltou a assombrar a todos, especialmente pais de crianças que têm acesso a internet.

É preciso delimitar o conteúdo que nossos filhos podem visualizar, embora exista muitos sites direcionados para crianças, uma grande parte desses tem associação com jogos com armas, competições e histórias de fundo muitas vezes inapropriadas para quem ainda não tem a personalidade formada. É preciso afastar o máximo possível as crianças de conteúdo violento, mesmo quando parecem jogos inocentes. Jogos que desafiam o tempo todo são legais, mas depois que nos tornamos adultos e temos maturidade para diferenciar o real do imaginário.

Ao deixar os filhos diante de qualquer conteúdo que não seja muito bem analisado, e que pode parecer inofensivo, podemos estar aguçando a imaginação de forma errada, com temas graves, que não devem fazer parte do cotidiano deles por enquanto.

E é aí que eu me pergunto: Que tipo de educação devemos dar nos dias atuais? Como educar nossos filhos para compreenderem a tecnologia e a forma de interação desta com a sociedade? Como esta interfere na formação de cada um?

São muitas as perguntas que surgem juntamente com tanta tecnologia que encantam e desafiam pais e educadores. O uso de tecnologias pode ser uma excelente opção de ensino já que está presente em nossas vidas todo o tempo. Porém, há armadilhas e precisamos ter muito cuidado!

Conversei com Eliandro Maurat, palestrante e empreendedor de impacto social, para nos ajudar dando algumas dicas :

 

  1. Games são muito legais, mas ter outras atividades onde as crianças possam brincar com os amigos fora do espaço on-line também é uma ótima oportunidade para se divertir!

 

  1. É muito importante para segurança da criança que ela nunca coloque o nome real em jogos online, utilize sempre um apelido. Converse com ele para nunca fornecer informações pessoais como nome completo, endereço, telefone ou nome da escola onde estuda.

 

  1. Monitore sempre para saber com quem a criança está falando, nunca sabemos se quem está do outro lado da tela é quem parece ser. Pessoas não confiáveis e mal intencionadas podem colocar a criança em perigo.

 

  1. Confira a faixa etária do jogo. É muito mais seguro brincar com games adequados para cada faixa de idade.

 

  1. Leia os termos de uso do game que a criança quer jogar antes de deixa-lo fazer o cadastro. Fique atento(a) aos seus direitos e deveres ao aceitar as regras do jogo.

 

  1. Muito cuidado com jogos que solicitam compras de produtos, é muito importante colocar algum tipo de bloqueio ou senha para evitar surpresas.

 

  1. Cuidado com jogos com muitas informações visuais. O perigo dos jogos não está apenas na segurança física. Alguns jogos podem causar confusão mental.

 

  1. Procure não deixar nenhum aparelho com jogos no quarto dos pequenos, pois, mesmo com a proibição dos pais, eles podem acabar “caindo em tentação”.

 

  1. Qualquer comportamento diferente do habitual deve ser observado. Jogos com muitos desafios estão por toda parte. Alguns podem ser bons para aguçar a imaginação, mas outros podem mudar o comportamento das crianças e adolescentes.

 

  1. Converse sobre os perigos da internet e sobre o que anda sendo divulgado, como o Baleia Azul. Pense em como abordar o assunto dependendo da idade da criança.

 

Essas são algumas dicas que podem fazer toda a diferença para que sua família não caia em armadilhas.

(Eliandro Maurat – Palestrante, empreendedor de impacto social e fundador do Clubinho Salva Vidas: http://www.clubinhosalvavidas.com.br/pt)

 

Conversei também, com a escola do Pedrinho, que passou algumas orientações para os pais através do site deles:

 

– Informar aos filhos a existência do jogo da Baleia Azul e seus perigos.

– Instruir os filhos a não adicionarem estranhos nas redes sociais.

– Monitorar o uso de smartphones e redes sociais.

– Restringir o uso da internet em determinados horários.

– Estar presente nos pátios virtuais e acompanhar o que o filho está fazendo.

– Ficar atento a qualquer mudança radical no comportamento de crianças e adolescentes.

– Acolher os filhos e conversar sempre que notar neles algum desconforto.

 

Temos que estar sempre bem informados para saber como educar nossos filhos !

 

Beijinhos e espero ter ajudado

Um comentário em “CONTEÚDO DIRECIONADO PODE AJUDAR A EVITAR CASOS COMO ‘BALEIA AZUL’

Deixe uma resposta