Cresce circulação de vírus que provocam Síndrome Respiratória Aguda Grave

No último um ano e meio, todos as preocupações se voltaram na direção do coronavírus, mas, agora, outros vírus respiratórios passaram a requerer também atenção. Segundo o último boletim Infogripe, divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), houve um aumento dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causados pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR) nas crianças de 0 a 9 anos. É preciso que os pais fiquem atentos aos sintomas, como chiado no peito, febre e coriza, porque o vírus é um dos maiores responsáveis pela temida bronquiolite, doença que costuma acometer bebês e crianças de até 2 anos, provocando uma inflamação dentro do pulmão que, se não tratada, pode levar a complicações. Nessa faixa etária, cerca de 10% a 15% dos casos demandam internação hospitalar. Rinovírus e Influenza também têm provocado danos em adolescentes e adultos.

O que causa a Síndrome Respiratória Aguda Grave? Dentre as doenças que causam essa síndrome, estão as infecções dos pulmões (pneumonias) que podem ser causadas por vários microorganismos, como bactérias, vírus e até fungos. Entre estes microorganismos, está o novo coronavírus.

SINAIS DE ALERTA

Segundo o infectologista pediátrico André Ricardo Araújo da Silva, do Grupo Prontobaby, um dos sinais de alerta para casos de bronquiolite é o afundamento da barriga do bebê quando ele respira. A criança, diz ele, pode também apresentar alterações, passando em pouco tempo de sonolenta a irritada, o que pode indicar alguma afetação do sistema nervoso central. Nos dois casos, o recomendado é procurar ajuda médica imediatamente. ” Alguns casos agravam, precisam ir para o CTI, ter suporte respiratório. Isso acontece normalmente com crianças menores de dois anos, mais suscetíveis a pneumonias”, diz.

TRATAMENTO

No caso de infecção, o tratamento mais adequado é nebulizar com remédios prescritos pelo profissional de saúde, como broncodilatadores, manter as vias áreas abertas e, em casos mais graves, oferecer suporte de oxigênio. Normalmente, a bronquiolite apresenta melhora em cerca de 7 dias.

As infecções pelo Vírus Sincicial Respiratório já são as maiores causadoras por SRAG em São Paulo, na faixa etária até os 9 anos, na frente até do coronavírus. No Rio, segundo o infectologista pediátrico André Ricardo, tem circulado também com bastante intensidade o vírus Influenza, causador da gripe. Outros vírus que provocam a SRAG são o Bocavírus e o Rinovírus, que tem atacado adolescentes em vários estados.

CUIDADOS
Para evitar o contágio, diz André Ricardo, é recomendado que se tome os mesmos cuidados que se tem em relação ao coronavírus. Ou seja:

— Evitar ambientes fechados e sem boa circulação de ar.

— Higienizar as mãos com frequência, seja com água e sabão, seja com álcool.

— Isolar a criança que apresente sinais gripais, não mandando para a creche ou escola.

— Se possível, também deve-se evitar o contato a criança com adultos resfriados ou gripados.

O VSR costuma circular mais durante os meses de março e abril, mas, este ano, está tendo um comportamento atípico. O infectologista do Prontobaby atribui a mudança ao isolamento provocado pela pandemia. “As crianças ficaram mais tempo em casa, não expostas a vírus, em geral, e com a volta às aulas presenciais, tem mais contato com vírus diversos.”, diz André Ricardo.

Deixe um comentário