CRIANÇAS QUE VOAM SOZINHAS

74a04921d393ee8eb6eccd39a318126c

Eu já vi algumas vezes crianças viajando de avião sozinhas, e me pergunto como isso funciona, se é seguro , enfim, trouxe essas informações para quem precisa enviar o filho para passar as férias em outra cidade e não poderá acompanha-lo.

Em primeiro lugar, é importante destacar que as exigências variam não apenas de acordo com as companhias aéreas, mas também com a idade da criança e o destino – nacional ou internacional. Portanto, é imprescindível contatar a empresa para entender a política de embarque de menores desacompanhados em cada caso. Porém, há consenso em algumas situações como, por exemplo, a proibição de embarque de crianças abaixo de cinco anos sozinhas e a exigência de apresentação de documentos bem preservados – sem eles, os pequenos não passam do balcão de check-in.

Para embarques nacionais, as principais companhias aéreas brasileiras não exigem autorização da Vara da Infância e Juventude para crianças com mais de 12 anos – elas só precisam ter um documento válido, seja passaporte, RG ou certidão de nascimento. Pequenos entre 5 e 12 anos, porém, devem apresentar uma autorização oficial do órgão, além do documento de identificação pessoal original – ou cópia autenticada – que pode ser passaporte, RG ou certidão de nascimento. No momento do check-in, o responsável pela criança, que assinou a autorização da Vara da Infância e Juventude, deve comparecer e apresentar todos os documentos exigidos – inclusive um protocolo de autorização de viagem de menor desacompanhado elaborado pela companhia aérea.

Quando a viagem em questão é para o exterior, uma autorização da Polícia Federal é necessária para crianças e adolescentes de até 17 anos que viajarem desacompanhados. O modelo, que pode ser obtido no site da Polícia Federal, deve ter firma reconhecida e ser apresentado às autoridades nos postos de entrada e saída do País junto ao formulário da própria companhia aérea e o documento de identificação do passageiro mirim.

Vale lembrar que algumas companhias aéreas ainda exigem a contratação de um funcionário para acompanhar a criança durante a viagem. O serviço de acompanhamento de menores, que custa, em média, R$ 120 para voos domésticos e US$75 para internacionais por pessoa por trecho, garante que uma pessoa cuidará da criança do check-in até o momento de deixá-la sob os cuidados do responsável no destino. Caso a viagem tenha escalas, os pequenos contam com salas especiais para a espera, com televisão, jogos e brinquedos.

Pais que pretendem se preparar para a compra das passagens aéreas para o período de férias ainda podem encontrar boas tarifas, nacionais e internacionais. À medida em que a época de fim de ano se aproxima, porém, a chance de conseguir preços baixos diminui. E, neste cenário, buscadores de preços de passagens aéreas como o Voopter são instrumentos importantes para ajudar a economizar. Eles não vendem o produto procurado, mas ajudam o usuário a encontrar o melhor preço gratuitamente.

O Voopter, por exemplo, pesquisa entre as companhias e as agências de viagem online no Brasil para encontrar o melhor preço dentre as datas em que o viajante pretende voar. Diferentemente das agências, a empresa não vende os bilhetes, mas leva o usuário à página do vendedor escolhido sem cobrar nenhuma taxa.

Além de ter acesso aos melhores preços, o usuário do Voopter conta ainda com um serviço de alerta via email, que o notifica quando uma passagem está dentro dos padrões de data e preço escolhidos pelo viajante. Simples e funcional, a ferramenta contribui, de várias maneiras, para que o sonho de viajar se torne realidade. Em primeiro lugar, por mostrar que é, sim, possível encontrar boas ofertas no período em que se quer voar. Depois, pela conveniência e praticidade em receber as informações – elas chegam ao email do usuário. E, sobretudo, porque é sob demanda, de acordo com os interesses e particularidades de quem quer viajar.

Anotaram tudo?

Beijinhos

 

Deixe uma resposta