DEPRESSÃO INFANTIL

ddc190bd8b2cef0efae058ed1773a19dCom a volta às aulas, as crianças ficam um pouco deprimidas, e quem não ficaria depois de 30 dias de férias sem obrigações, se divertindo e descansando ? Mas, fique de olho se é uma tristeza passageira ou se realmente, trata-se de uma depressão.

De acordo com os pesquisadores brasileiros Emídio e Marislei Brasileiro, a depressão infantil pode impedir o desenvolvimento satisfatório das atividades estudantis. Essa vontade deve ser motivada com amor, atenção e dedicação especial por parte dos pais, professores e profissionais capacitados. Tanto a depressão como a hiperatividde interferem na memória e concentração da criança, tornando mais difícil prestar atenção na aula e reter o que ensina.

A depressão tem início no retraimento, na tristeza constante e na falta de motivação para o cumprimento de deveres no dia a dia. Os pais devem identificar se a criança apresenta esses sintomas para saber se há uma tendência à doença.

No livro “Educação Emocional”, os pesquisadores Emídio e Marislei Brasileiro fornecem um verdadeiro manual de sobrevivência para a vida ao discutirem como as emoções influem nos relacionamentos amorosos, na vida familiar, na educação dos filhos e em diversos outros contextos. Na década de 90, os pesquisadores passaram cinco anos viajando pelo Brasil e entrevistaram cinco mil pessoas para entender o comportamento sexual do brasileiro. A pesquisa, que ficou conhecida como a maior já realizada sobre o tema, foi assunto de diversas reportagens exibidas nos canais de TV aberta, como no programa Fantástico, da rede Globo.

Quais são os principais sinais e sintomas da depressão infantil ?

A Depressão infantil é caracterizada pela presença dos seguintes sinais e sintomas, os quais podem se apresentar de forma mascarada: baixo desempenho escolar, pouca capacidade para se divertir (anedonia), sonolência ou insônia, mudança no padrão alimentar, fadiga excessiva, queixas físicas, irritabilidade, sentimentos de culpa, sentimentos de desvalia, sentimentos depressivos, ideação e atos suicida, choro, afeto deprimido, facies depressivas, hiperatividade ou hipoatividade.

Na depressão infantil, o sono começa a ser interrompido por pesadelos e o medo de ficar sozinha faz com que reclame e chore muito na hora de dormir. Não é o choro de quem quer continuar brincando. É um choro assustado, indicativo do medo que está sentindo o tempo todo.

Segundo Von During, “As crianças deprimidas não podem rir. E uma criança que não ri nem pode brincar nem brigar; é uma criança enferma (…). As crianças deprimidas são tímidas, fogem da companhia dos demais, não jogam, não têm confiança em si mesmas, o que pode levá-las, inclusive ao suicídio (p. 31, POLAINO, 1988)”.

Vamos ficar de olho, não deixe a rotina camuflar tais sinais 😉

Bjins e até amanhã

 

Deixe uma resposta