Dia da Infância: Entenda a importância das crianças brincarem, se fantasiarem e criarem histórias

Você sabia que hoje dia 24 de agosto, é comemorado o “Dia da Infância”? Esta data foi criada pela UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) para promover reflexões e debates sobre como as crianças estão vivendo no mundo.

Já é comprovado que é de extrema importância que bebês e crianças sejam estimulados a brincarem.  “O brincar é fundamental para a formação da criança. pois ela se apropria-se da realidade, estabelece as suas relações sociais e utiliza toda a sua corporeidade, nas suas dimensões motora, cognitiva e afetiva”, explica Rogéria Sprone, Diretora Pedagógica do Colégio Joseense. 

“É no brincar que a criança se desenvolve. Ali ela descobre do que gosta, do que não gosta, o que lhe é fácil e o que não é, como ela se sente em relação aos colegas nas brincadeiras, que papeis ela tende a assumir. Sem perceber a criança começa a se conhecer e conhecer o mundo que a cerca, desenvolvendo criatividade, coordenação motora, raciocínios lógico e abstrato, entre outras habilidades fundamentais para um crescimento sadio.

A amplitude do repertório de um adulto começa nas brincadeiras da infância, complementa Graziella Soubhia, idealizadora da feira infantil Baby Bum. “Quando brinca de faz de conta, a criança assume papéis, desenrola um enredo e constrói interações. Através dessa representação ela demonstra sentimentos, angústias, alegrias, incômodos e suas impressões do dia a dia. Elas conseguem expressar suas dificuldades, contradições e se sentem motivadas a lidar com o acaso, uma vez que a história é construída no desenrolar da brincadeira”, complementa Rogéria Sprone.

Nesse momento de pandemia é importante que a criança tenha alguém para brincar junto e interagir em diversas atividades: criação e contação de histórias, jogos, fantasias, exercícios de movimento (pega-pega, esconde-esconde, entro outros).  

No site Baby Bum Online tem alguns produtos que incentivam a criatividade e o desenvolvimento das crianças.

Deixe uma resposta