Dia Mundial da Alergia: como respirar melhor dentro de casa

Produtos de limpeza, ácaros, fungos, pelos de animais e resíduos de insetos estão entre os principais gatilhos da doença

Com a chegada do inverno aumenta a preocupação de médicos e especialistas com a incidência de doenças respiratórias e alergias, principalmente no atual cenário em que o isolamento social, necessário para ajudar a conter a pandemia da Covid-19, tem mantido as pessoas mais tempo dentro de casa. É que a poluição doméstica, dependendo dos hábitos das famílias, pode ser tão prejudicial para os pacientes alérgicos quanto a poluição do ar no ambiente externo.

pneumologista Angela Honda, líder de Programas Educacionais da Fundação ProAR, diz que em alguns países a poluição indoor pode ser até cinco vezes maior do que ao ar livre por causa do acúmulo de agentes biológicos. “Eles são representados por fungos, ácaros, pelos de animais e insetos e podem ser encontrados em carpetes, tapetes, cortinas, cobertores, almofadas e bichinhos de pelúcia, além de roupas que ficam guardadas muito tempo no armário”, exemplifica a especialista. “A rinite é uma reação exagerada do organismo, mas não pode ser encarada como normal. Quem tem alergia não deve se conformar. Ela é uma doença e precisa ser tratada”, destaca Honda.

O Brasil está entre os países que apresentam as maiores taxas de prevalência de asma e de rinite alérgica no mundo. Segundo o International Study of Asthma and Allergies (ISSAAC), a rinite compromete cerca de 26% das crianças e 30% dos adolescentes brasileiros. O mesmo estudo mostra a estreita relação da asma com a rinite: 80% dos pacientes asmáticos têm rinite alérgica e, por isso, os cuidados com a doença não podem ser desprezados. “O paciente alérgico geralmente respira pela boca e isso afeta o padrão de sono porque ele não entra na fase REM, que é quando ocorre o descanso profundo. A consequência disso é irritabilidade e sonolência ao longo do dia e, no caso das crianças, dificuldade de aprendizagem por falta de concentração”, pontua a médica.

Como respirar melhor dentro de casa

Para evitar crise de rinite alérgica, a pneumologista Ângela Honda dá algumas dicas:

• Passar pano úmido na casa todos os dias

• Evitar o uso excessivo de produtos de limpeza

• Utilizar aspiradores de pó em substituição às vassouras – Quanto mais limpo o ambiente, melhor!

• Evitar tapetes, carpetes, cortinas, almofadas e bichos de pelúcia

• Evitar contato com livros antigos e nunca armazená-los no quarto

• Trocar as roupas de cama com regularidade

• Usar capas impermeáveis em travesseiros e colchões

• Evitar velas, incensos e outros tipos de aromatizantes de ambiente.

Proteção a mais

O uso de máscaras faciais nos espaços públicos durante a pandemia vem demonstrando a eficiência das barreiras físicas na redução dos casos de crises de asma e alergias. “O nariz tem a função de filtrar, aquecer e hidratar o ar que vai para os nossos pulmões. Mas quando os agentes alérgenos entram pelas vias aéreas, eles provocam uma reação inflamatória, irritando a mucosa do nariz e prejudicando todo esse processo”, explica a pneumologista.

Dia 08 de julho é comemorado o Dia Mundial da Alergia. A data, definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi criada com o intuito de alertar as pessoas sobre a importância do assunto, já que em alguns casos a alergia pode causar a morte.

Deixe uma resposta