Dicas para famílias celebrarem um Dia das Crianças livre de consumismo

Programa Criança e Consumo, do Instituto Alana, lista ideias para aproveitar a data com mais experiências e brincadeiras com os pequenos 

Mais um Dia das Crianças se aproxima e, com a data, muitos anunciantes direcionam suas estratégias comerciais diretamente às crianças. Com isso, mães, pais e familiares sentem, na pele, os efeitos dessa pressão ilegal da publicidade infantil – afinal, são eles que escutam os pedidos insistentes das crianças por produtos que foram anunciados diretamente para elas na TV, nos vídeos do YouTube, em games e em vários outros espaços de convivência e meios de comunicação. Educadoras e educadores, que têm papel fundamental no desenvolvimento das crianças, também podem perceber, diariamente, os impactos da publicidade infantil. 

Datas comemorativas são excelentes oportunidades para refletir sobre o consumismo e os impactos da publicidade infantil. Neste momento de pandemia, em que as opções de comemoração acabam sendo mais restritas, o programa Criança e Consumo, do Instituto Alana, preparou o Especial Dia das Crianças , uma página on-line com materiais e dicas de atividades para ajudar as famílias e os profissionais da educação a promoverem um mês de outubro recheado de brincadeiras e sustentabilidade, sem consumismo. Confira algumas dicas aqui! 

1. Invente novas tradições 
Crie experiências que combinem com os interesses da criança, dentro de casa mesmo, como: preparar uma receita de bolo, construir um castelinho com as almofadas da sala ou fazer pinturas e depois organizar uma exposição de arte pela casa. Deixá-la brincar livremente – sem direcionamento dos adultos – é uma experiência fundamental para seu desenvolvimento integral e potencializa a imaginação infantil. Quantas vezes você notou que uma criança ressignificou objetos, transformando uma colher de pau em varinha mágica ou um lençol em cabana, por exemplo? Essas baguncinhas sempre geram bons momentos em família, risadas e memórias! Outra sugestão é cultivar “pequenas naturezas” e fazer atividades naturais dentro de casa, como criar uma horta na varanda. Confira esse material com sugestões para as famílias se inspirarem, produzido pelo programa Criança e Natureza. 

• Prepare a pipoca e faça uma sessão de cinema! 
A plataforma Videocamp preparou listas especiais e gratuitas com filmes e séries para crianças, famílias e educadores. Em casa, pais, mães e responsáveis, podem assistir com os pequenos à playlist infantil Quem são os heróis das crianças? , que conta com 13 episódios da série de animação Mytikah. Em seguida, a dica é engatar uma conversa sobre o que mais chamou atenção das crianças e estimulá-las a desenhar ou contar a história com suas próprias palavras. Já para os educadores – e pais que queiram refletir sobre as questões da infância – indicamos a playlist O que desejamos para nossas crianças? , com conteúdos que convidam a refletir sobre a garantia de acesso à educação e, também, a lista Vamos expandir o brincar? , com quatro documentários que mostram que para brincar livremente, as crianças não precisam de muito e que o nosso papel enquanto adultos é observar e aprender. 

• Redobre a atenção com publicidade infantil na internet 
Neste momento, muitas atividades essenciais para o desenvolvimento das crianças podem ser facilitadas por plataformas digitais – estudos e comunicação com colegas e familiares, por exemplo. Mas algumas empresas anunciantes se aproveitam disso para praticar publicidade infantil velada, a exemplo dos já famosos vídeos de unboxing . Esse tipo de publicidade estimula comportamentos consumistas precoces nas crianças, ao despertar o desejo por produtos e marcas, gerando uma sensação de insatisfação constante. Identificar esse tipo de publicidade infantil pode ser difícil até mesmo para os adultos e tanto empresas anunciantes devem parar com essa prática ilegal quanto as plataformas digitais também precisam assumir sua responsabilidade em coibi-las. Para conferir uma lista de canais livres de publicidade direcionada a crianças, acesse esse o portal Lunetas 

• Repense o consumo de plástico 
O Dia das Crianças também pode ser uma data para refletirmos sobre qual mundo estamos construindo para elas. O consumo de brinquedos de plástico em excesso, por exemplo, pode trazer consequências graves para a saúde e para o meio ambiente, conforme mostra a pesquisa Infância Plastificada (2020). E o setor de brinquedos é um dos que mais realiza publicidade infantil, levando as crianças e desejarem um brinquedo e, rapidamente, “enjoarem” dele e pedirem o próximo. Se nesse Dia das Crianças você optar por presentear com um brinquedo, que tal buscar opções que não envolvam plástico, como aqueles produzidos por artesãos, além de tentar evitar as inúmeras embalagens que vêm nos presentes? Famílias e educadores também podem propor às crianças brincadeiras para reduzir o consumo de plásticos e uma gincana de Caça aos Plásticos para fazer em casa. 

• Lembre que presença ainda é o melhor presente! 
Não há nada de errado em presentear a criança em ocasiões especiais, caso essa seja uma escolha consciente dos adultos – e não consequência de uma pressão comercial exercida pelas empresas diretamente nas crianças. Mas lembre que presença ainda é melhor do que presente! O Dia das Crianças pode ser uma oportunidade de escutá-las sobre o que mais gostam de fazer nesta data e do que elas sentem falta, aproveitando para conversar com sobre valores fundamentais como afeto, sustentabilidade e também, os apelos consumistas atrelados à data. Uma sugestão é fazer um exercício simples de perguntar para as crianças sobre a origem e destino de bens de consumo e se, realmente, precisamos de tudo isso que queremos ter. As percepções e respostas podem surpreender! Faça um registro das falas mais inspiradoras das crianças e guarde como lembranças para reler no futuro! 

• Defenda o fim da exploração comercial das crianças por empresas 
As leis brasileiras estabelecem que a publicidade infantil é ilegal, mas muitas empresas ainda insistem em realizar essa prática abusiva. Em datas comemorativas, como o Dia das Crianças, essa pressão do mercado sob as crianças aumenta e precisamos estar ainda mais atentos. Você sabia que qualquer cidadão pode fazer uma denúncia de publicidade infantil? Veja como no site do Criança e Consumo. Faça sua parte, denuncie! Exija das empresas anunciantes que cumpram as leis e parem de explorar comercialmente as crianças! 

Deixe uma resposta