EDUCAR, CUIDAR e NUTRIR PARA A VIDA

crenNo Brasil, 20 milhões de crianças e adolescentes são desnutridos. O CREN (Centro de Recuperação e Educação Nutricional), uma organização sem fins lucrativos, tem a solução para curar a juventude malnutrida. Cerca de dois anos de tratamento da subnutrição ou obesidade pela metodologia do CREN evitam quase 20 anos de visitas constantes a hospitais ! Adorei conhecer esse centro de referência para desnutrição e quero propagar para ás famílias que não tem a informação.

 A boa nutrição das pessoas atendidas pelo Centro é alcançada por meio de três Pilares: Assistência, Multiplicação e Pesquisa e Formação. A porta de entrada é via Unidade Básica de Saúde, pela agenda regulada. Normalmente o pediatra da unidade que encaminha os casos que necessitam de ajuda.

A maior conquista de um serviço é a promoção da saúde e a manutenção do bem estar da pessoa atendida em longo prazo. Para isso, é necessário que as famílias modifiquem seus hábitos alimentares, racionalizem suas compras, recuperem a confiança em si, ampliem sua rede de relacionamentos, aprendam os caminhos para buscar ajuda nas dificuldades e para encontrar os programas e recursos disponíveis.

“No CREN ele aprendeu a comer e andar. Eu aprendi a alimentar meu filho. Ele ficou aqui três anos. Eu sou muito grata. Eles me deram uma oportunidade de trabalho e hoje eu vejo outras crianças felizes como meu filho”, Maria Elainemãe do Samuel, paciente do CREN.

O marcador de subnutrição e pobreza mais prevalente em todo o mundo é a baixa estatura, contrariando o senso comum de que seria o peso. Segundo a Organização Mundial da Saúde, em populações economicamente desprivilegiadas, a baixa estatura em adultos também poderia ser usada como um indicador da desigualdade socioeconômica.

Prevenção 

É de extrema importância cuidar da nutrição desde o início, desde a gravidez. A alimentação da gestante interfere no crescimento e desenvolvimento do feto, mas também é fator de aquisição e desenvolvimento do paladar da criança. Estudos apontam alteração do sabor do líquido amniótico de acordo com a dieta materna.

A introdução da alimentação complementar deve acontecer a partir do sexto mês exclusivamente com alimentos in natura ou minimamente processados. A partir do primeiro ano de vida as refeições de sal devem ser semelhantes às dos adultos. Podem ser consumidos todos os tipos de carnes. Deve-se estimular o consumo de frutas e verduras, lembrando que aquelas de folha verde escura apresentam maior teor de ferro, cálcio e vitaminas.

Como proteger nossas crianças de uma exposição excessiva ao açúcar, gorduras e sal?
Prefira sempre alimentos in natura ou minimamente processados e preparações culinárias a alimentos ultra processados.

Em outras palavras: 
Opte por água, leite e frutas no lugar de refrigerantes, bebidas lácteas e biscoitos recheados;  Não troque comida feita na hora (sopas, saladas, molhos, arroz e feijão, legumes e verduras) por produtos que dispensam preparação (sopas “de pacote”, macarrão “instantâneo”, pratos congelados, sanduíches, frios e molhos industrializados).  Utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades.

Saiba como ajudar o CREN , quanto mais ajuda tiverem, mais poderão fazer pela desnutrição em nosso pais: http://www.cren.org.br/como_ajudar/

 

Deixe uma resposta