Especialistas dão dicas de como balancear a alimentação infantil

Um assunto que deixa muita mãe de cabelos em pé é a alimentação infantil.

Na minha casa seguimos a linha do equilíbrio e desta forma, vamos conseguindo manter bons hábitos alimentares. Ao ponto do Pedrinho me perguntar se tal alimento é saudável, rsrs E ele sabe que aqueles que não são considerados saudáveis, não fazem parte da nossa rotina 😉 Entram nos dias de exceção. O famoso dia da “trapaça” rsrs!

Desde bebê sempre fui atenta e continuo de olho! Mas e por aí, como anda a alimentação das crianças? E a amamentação?

Pois saiba, que uma a cada três crianças com menos de cinco anos de idade está desnutrida ou sofre com o sobrepeso, é o que aponta relatório da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância). O estudo revela que aproximadamente 227 milhões de crianças foram afetadas por esses problemas alimentares em 2018. A análise ainda mostra que 340 milhões de crianças sofrem de carências na alimentação. 

Para a médica Patricia Rezende, pediatra do grupo Prontobaby, é importante que a criança tenha uma amamentação exclusiva até os seis meses de idade e continue com o leite materno nos dois primeiros anos de vida, assim garantirá nutrientes importantes para o desenvolvimento cerebral. 

“Pesquisas comprovam que crianças amamentadas desenvolvem um QI maior”, afirma Patricia. 

Mas qual a importância de uma alimentação correta na infância? Essa e as principais questões sobre o tema, a nutricionista Paula Tuffy e a pediatra Patricia Rezende respondem a seguir. Confira: 

De modo geral, como deve ser uma alimentação infantil balanceada? 

Paula Tuffy: A alimentação ideal após os 6 meses de vida deve conter legumes, frutas e hortaliças, além de feijão, carboidratos e proteínas, como carne, frango e/ou peixe. É importante que os alimentos sejam oferecidos a cada três horas, sempre respeitando o volume 

Como o consumo exagerado de doces ou alimentos ultraprocessados podem interferir na nutrição infantil? 

PT: O consumo exagerado de doces pode acarretar ganho de peso excessivo, além de aumentar o risco de doenças cardiovasculares, diabetes, gordura no fígado e alguns tipos de cânceres. A orientação é que os pequenos não consumam refrigerantes e doces em excesso. 

Levando em conta toda a publicidade desses alimentos, que bombardeia as crianças, como os responsáveis podem agir para que elas passem a preferir alimentos saudáveis? 

Patricia Rezende: O exemplo deve vir de casa, os pais devem consumir alimentos saudáveis para que a criança tenha esse exemplo e interesse em comer. A forma mais aconselhada é ter criatividade na hora de apresentar a comida para a criança. Sugerimos montar um prato colorido, por exemplo. 

As escolhas alimentares dos adultos influenciam as opções das crianças? 

PR: Sim. A criança aprende a se alimentar pelo exemplo. Não adianta esperar que ela vá comer brócolis se os pais só pedem pizza. 

Existe uma idade adequada para que as crianças possam consumir açúcar? Qual é a quantidade indicada por semana? 

PT: A orientação para o uso de açúcar na infância é a partir de 2 anos de idade, com um limite diário de até 25 gramas, equivalente a 6 colheres de chá. 

Como orientar os responsáveis para que introduzam alimentos mais saudáveis na infância? 

PT: A dica é ter criatividade nos cardápios e variar os alimentos. Panqueca de tapioca, sucos naturais de frutas, pães integrais, por exemplo. Papinhas de legumes e frutas naturais, feitas por você, também são boas opções. 

Deixe uma resposta