Futuro Brilhante traz a 2ª edição do Congresso Brasileiro de Prevenção à Violência Sexual Infanto-juvenil

O evento acontece nos dias 14 e 15 de outubro 100% digital e tem como objetivo discutir o papel das instituições na prevenção dessa causa

Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, no Brasil dos 159 mil registros feitos pelo Disque Direitos Humanos ao longo de 2019, 86,8 mil são de violações de direitos de crianças ou adolescentes, um aumento de quase 14% em relação a 2018. A violência sexual figura em 11% das denúncias que se referem a este grupo específico, o que corresponde a 17 mil ocorrências. Em comparação a 2018, o número se manteve praticamente estável, apresentando uma queda de apenas 0,3%. Aproximadamente 12 mil casos de violência sexual contra crianças e adolescentes foram praticados em Belém (PA) no período de 2009 a 2019, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde.

Diante disso, para debater o assunto e disseminar informações de qualidade para a prevenção deste crime, o Projeto Futuro Brilhante realizará a 2ª edição do Congresso Brasileiro de Prevenção à Violência Sexual Infanto-juvenil, que acontecerá nos dias 14 e 15 de outubro em formato 100% on-line.


O Futuro Brilhante é um projeto voluntário que surgiu em 2014 para atender crianças em situação de vulnerabilidade social e econômica da região da Vila Cruzeirinho, comunidade Guajará-Mirim, Baixo Acará/PA, com o fornecimento de kits escolares. A partir de 2018, em razão de estudos sobre os fatores que aumentam a vulnerabilidade de crianças e adolescentes, as ações do projeto foram direcionadas para a prevenção da violência sexual infanto-juvenil a partir da produção de materiais educativos como cartilhas, podcast, publicações nas redes sociais e ações de estímulo à educação infantil.

Além disso, em 2020 passaram a realizar o Congresso Brasileiro de Prevenção à Violência Sexual Infanto-juvenil, que teve sua primeira edição em maio, também em formato digital, onde o projeto reuniu profissionais especialistas no assunto de diversas áreas para discutir estratégias de prevenção e, também, pessoas interessadas no tema. Nessa segunda edição, os palestrantes falarão sobre o papel das instituições no enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes, sejam essas instituições: escolas, universidades, empresas privadas, organizações dos sistemas de segurança pública e outras.

O Congresso tem como público-alvo pessoas interessadas no tema e que buscam informações relevantes sobre a causa para a prevenção e combate que serão debatidas, independente de sua formação acadêmica e área de trabalho.

O objetivo é conectar profissionais especializados como assistentes sociais, psicólogos, pedagogos, advogados, educadores físicos e terapeutas ocupacionais, que estão dentro dessa luta diariamente em todo o território nacional para trazer visões diferenciadas a partir de suas atuações profissionais. “Será além de uma grande ferramenta de sensibilização para a prevenção da violência sexual infanto-juvenil, e sim também um espaço para troca de informações sobre como as instituições podem contribuir para que isso cada vez mais seja evitado, além da troca de experiências enriquecedoras que teremos”, reforça Diego Martins, idealizador do projeto Futuro Brilhante e organizador do Congresso.

Em virtude da necessidade do isolamento social devido à pandemia, o evento será digital, possibilitando que participantes de outros estados possam prestigiar o congresso, assim como em sua primeira edição.  Confira agenda completa de palestras do Congresso nesse link: https://tinyurl.com/yyzuzetq ou acesse @futuro.brilhante nas redes sociais.

Sobre o Projeto Futuro Brilhante           
Futuro Brilhante é um projeto voluntário que surgiu em 2014 para atender crianças em situação de vulnerabilidade social e econômica da região da Vila Cruzeirinho, comunidade Guajará-Mirim, Baixo Acará/PA, com o fornecimento de kits escolares. A partir de 2018, em razão de estudos sobre os fatores que aumentam a vulnerabilidade de crianças e adolescentes, as ações do projeto foram direcionadas para a prevenção da violência sexual infanto-juvenil a partir da produção de materiais educativos como cartilhas, podcast, publicações nas redes sociais e ações de estímulo à educação infantil.

Deixe uma resposta