Importância do aprendizado na primeira infância

Especialista de Harvard fala da importância do aprendizado na primeira infância

Jack Shonkoff, pediatra e diretor do Centro de Harvard sobre a criança em desenvolvimento, é um dos palestrantes mais requisitados para falar de aprendizagem na primeira infância. Segundo ele, durante anos, as pessoas achavam que não acontecia muita coisa no cérebro de bebês e crianças pequenas. Hoje, a ciência nos diz exatamente o oposto: uma enorme quantidade de coisas está acontecendo, e isso afeta diretamente o futuro dos pequenos.

Shonkoff afirma que cérebros são construídos ao longo do tempo e que sempre que se desenvolve uma habilidade, eles respondem com informações que ele já tem, para completar a informação nova. Por isso, os conhecimentos adquiridos nessa etapa são vitais para a vida toda.

Existem instituições que apostam nisso já há bastante tempo. É o caso do FasTracKids, que chegou ao Brasil em 2007 com uma proposta de atividade complementar inovadora. Entre os cursos disponíveis no mercado, a rede americana oferece um método exclusivo criado para estimular o desenvolvimento intelectual da criança.

A proposta educativa é particularmente interessante, pois consegue unir tecnologia de última geração a uma maneira lúdica e prazerosa de transmitir o conhecimento. Isso proporciona às crianças uma imersão total no processo de aprendizagem.

Este feito é possível, pois o método, a escolha dos temas abordados e a didática das aulas foram pesquisadas e desenvolvidas para possibilitar o aprimoramento de habilidades que a criança utilizará em diversas situações.

Em razão disso, este conceito educacional exclusivo é essencial, pois desenvolve aptidões que as crianças utilizarão no decorrer de sua vida. Entre elas, estão as competências dos 5 C’s, nomeadas assim pelos criadores do método FTK, por identificarem que são pontos essenciais para a ampliação do conhecimento infantil: Pensamento Crítico, Criatividade, Comunicação, Colaboração e Auto Confiança.

Pensamento Crítico – A capacidade de análise crítica é importante para que a criança consiga avaliar as coisas ao seu redor.

“Nas aulas de economia, por exemplo, eles entendem o que são coisas essenciais nas nossas vidas e itens que podemos adquirir sem pressa”, explica Ana Paula Harley, máster franqueadora no Brasil. Desta forma, eles começam a analisar as compras que realizam junto com os pais e entendem quando podem esperar para ter algo.

Criatividade – Através de atividades lúdicas a criança tem liberdade para deixar a imaginação fluir. Eles criam peças de teatros, projetos manuais etc. Este processo acontece sem a interferência de alguém apontando certo ou errado, apenas orientando formas das crianças encontrarem o melhor caminho para transmitirem suas ideias e projetos criativos. As professoras guiam os alunos para que eles aprendam a resolver problemas que surjam durante a realização das atividades e tomem decisões.

Comunicação – A relação humana é baseada na comunicação e conscientizar a criança de que ela pode interagir através de frases mais completas e objetivas auxilia indiretamente no relacionamento dela com os pais e colegas. Ao falar claramente o que deseja o entendimento entre as partes será mais rápido e fácil, diminuindo a possibilidade de desentendimentos e atritos.

Este aspecto é trabalhado de forma bastante interessante em todas as aulas com o auxílio de uma câmera. Ao término das atividades as crianças são gravadas em uma apresentação em que falam sobre os novos conhecimentos adquiridos. O simples ato de se relacionar de maneira habitual com o microfone e a câmera as torna mais desinibidas e preparadas para situações em que terão que falar em público ou estar no centro das atenções. Isto será essencial nos trabalhos que farão durante a vida escolar, acadêmica e profissional.

Colaboração – Muito se fala sobre criar uma geração de líderes, mas para haver equipes bem sucedidas também é preciso que existam seguidores.

Auto Confiança – Esta característica é estimulada através da orientação das professoras sem que exista pressão ou julgamentos quando a criança se expressa. Desta forma, ela percebe que pode falar o que pensa de maneira adequada e mesmo que não esteja exatamente correta não será podada ou exposta.

Esta atitude estimula a auto-estima. Assim, a criança se torna mais confiante para se expor e aprende a lidar com os erros de forma natural e como etapas do aprendizado, sem traumas e estando forte o suficiente para trocar ideias e informações.

“O FasTracKids prepara a criança para a vida lhe dando uma base sólida de aprendizado em diversas áreas do saber”, comenta Ana Paula.

Para saber mais sobre o FasTrackids:

www.fastrackids.com.br

Twitter: fastrackids_bra

Facebook: fastrackids brasil

Achei muito interessante e vou continuar esse assunto depois que entrevistar alguns pais para contarem a experiência dos filhos!!

*Bjins*

Deixe uma resposta