Introduzindo alimentos sólidos

set-de-pratos-zoo-zebra-skip-hop-original-alimentaco-beb_MLB-O-5016447595_092013

Eu me lembro que quando o Pedro começou a comer alimentos sólidos eu não tinha ideia de que ele precisava se adaptar ou o quanto era necessário pôr no pratinho ou o que era melhor…

No primeiro mês de alimentos sólidos, passamos por tipos diferentes de colheres e vários pratinhos.

As colheres de silicone já não serviam mais para esses alimentos, nem as muito rasas ou pequenas. As médias são melhores e um pouco mais fundas também. Os pratinhos que deixam a comida aquecida, é uma boa opção, pois eles demoram para comer tudo (quando comem, rs). E no inicio, eu achava os pratinhos fundos com laterais para segurar, os melhores, porque os alimentos ainda precisavam ficar um pouco amassados. Babador de plástico são os melhores (prepare-se para a sujeira).

Os utensílios que funcionaram para o Pedrinho na hora da refeição:

Mas, quando o meu filho está pronto para comer alimentos sólidos?

O pediatra do Pedro me orientou a fazer isso com seis meses, mas algumas mamães que voltam a trabalhar com 4 meses e param de amamentar, fazem isso antes.

Aí vão alguns sinais de quando introduzir (fonte: Baby Center)

Uma criança está apta a experimentar novos alimentos se:

• Consegue manter a cabeça erguida
• Senta-se bem quando está apoiada
• Não tem mais aquele reflexo de colocar a língua para fora
• Faz movimentos de mastigar com a boca
• Já tem o dobro do peso com que nasceu
• Mostra curiosidade sobre o que você come

Para mim e para muita gente, essa fase de começar a comer alimentos sólidos, não é tão fácil. O Pedro cuspia, assoprava, fazia cara feira, enfim, entranhou muuito a textura e o sabor!

Por isso, cada alimento precisa ser introduzido aos poucos – e de preferência um por vez. O bebê precisa de tempo para se acostumar aos novos gostos e à consistência dos alimentos. Além disso, a introdução gradual de diferentes alimentos possibilita que você identifique os sinais de uma possível reação alérgica, como a presença de diarreia, dores de barriga ou manifestações cutâneas. Experimente um alimento novo a cada dois ou três dias, começando com frutas e depois introduzindo também legumes e verduras, que são mais fáceis de digerir do que as carnes.

Uma mamãe me perguntou outro dia, qual era a rotina do Pedrinho com seis meses. Bom, nessa época eu ainda amamentava, então, o desjejum era o meu peito (7h mais ou menos). Entre 9h e 10h era a hora da frutinha (banana, pêra, maçã, etc) e um suquinho de laranja lima. Entre 11h30 e meio-dia, ele almoçava. Duas horas depois, mais uma mamada no peito, e mais tarde, frutinha e suco novamente. Entre 17h30 e 18h ele jantava. Duas horas depois, mais uma mamada e zzzz , ele dormia (ufa).. mas não acabava por aí, ele acordava de madrugada para mamar de novo.

E com vocês, como foi ou está sendo essa fase?

Bjins e uma excelente semana !!

Deixe uma resposta