Jogos na educação

O Pedrinho não tem ainda interesse por jogos, mas fico pensando se tem alguma utilidade além da diversão , por isso, fui pesquisar pra gente e descobri que na área da educação, onde inicialmente os jogos eram considerados uma atividade inútil, hoje não é mais.

Os jogos estão ganhando importância em novos métodos e devem revolucionar o modelo tradicional de ensino, entrando para sempre na vida escolar de crianças e adultos.

Talvez eles sejam, inclusive, um caminho para tirar o Brasil dos últimos lugares nos testes de raciocínio, conforme mostrou o último teste do PISA (que avaliou a capacidade de resolução de problemas de estudantes de diversos países). O Brasil 38º lugar entre 44 nações.

O método SUPERA, por exemplo, criado pelo brasileiro Antônio Carlos Guarini Perpétuo em 2006 possuem professores que recebem treinamentos de pedagogos, psicopedagogos e neurologistas especializados em jogos para o aprendizado para difundir o método em todo Brasil.

‘’Através dos jogos o aluno aprende a agir de melhor maneira, adquire iniciativa e autoconfiança. Os jogos estimulam a curiosidade, desenvolvem a linguagem, o pensamento e a concentração’’, esclarece Neide Pereira, Coordenadora Pedagógica Nacional do SUPERA.

São mais de 60 tipos de jogos: cada um requer uma estratégia diferente e trabalha ao mesmo tempo todas as competências, potencializando as habilidades necessárias para situações diversas de vida.

Além do aspecto cognitivo, as brincadeiras proporcionam oportunidades adequadas para o desenvolvimento humano na interação social, na expressão afetiva, na evolução da linguagem, na experimentação de possibilidades motoras, apropriação de regras sociais e imersão no universo cultural.

Desenvolver a capacidade cognitiva, emocional e social prepara o aluno para o futuro. A revolução do ensino passa por métodos inovadores, na busca de um aluno mais interessado, atendo, com capacidade de concentração e velocidade de raciocínio, um aluno com facilidade de aprender, resolver problemas e de se relacionar.

O que acham?

*Bjins*

Deixe uma resposta