Novembro azul: ensine os meninos a se cuidarem desde cedo

O autocuidado é muito importante e ensinar nossos filhos a fazerem o mesmo também

Hoje é o Dia Internacional do Homem! A data, que tem o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU) e vários grupos de defesa dos direitos masculinos do mundo, é lembrada para destacar a importância da conscientização em relação à saúde masculina. E eu como mãe de menino, me sinto no dever de ensinar e orientar sempre o meu filho.

Comumente, os homens cuidam menos da saúde do que as mulheres. Talvez pela ideia de que são mais fortes e resistentes, eles sintam menos necessidade de cuidar do próprio corpo e ir ao médico, por exemplo. Portanto, ensine seu pequeno, desde cedo, sobre a importância do autocuidado. Ouvir e cuidar do corpo é fundamental para uma vida mais equilibrada e feliz!

Por isso, trouxe algumas sugestões de cuidados para um crescimento saudável dos nossos meninos e para que nós sejamos atentos:

Hábitos alimentares saudáveis

É na infância que definimos o paladar, portanto, atitudes como evitar o sal, gorduras e embutidos podem ajudar a ter hábitos alimentares saudáveis ao longo de toda a vida.

Higiene íntima

Pais devem ensinar os filhos a adotarem hábitos de higiene íntima corretos para prevenir infecções por fungos, bactérias e até câncer.

Ao criar hábitos saudáveis desde pequeno, é mais fácil o homem manter um estilo de vida saudável ao longo dos anos. Isso inclui também prática de atividade física e limpeza dos dentes. Lembre-se de que as crianças se espelham nos pais, portanto, seja um exemplo para seu filho.

Adolescência

A adolescência é uma etapa de muito desenvolvimento e crescimento, tanto físico como mental. Mas, apesar de importante, diversos cuidados com a saúde são negligenciados, especialmente entre os meninos.

Consultar um médico

Depois que o menino cresce, cria imunidade e toma todas as vacinas, é muito comum deixar de consultar o pediatra e não ir mais a nenhum médico. Porém, essa ausência prolongada de consultas com um especialista pode acarretar diversos problemas como infecções sexualmente transmissíveis, fimose e varicocele, além de falta de orientações médicas por ter vergonha de falar sobre certos assuntos.

De acordo com pesquisa da Sociedade Brasileira de Urologia, somente 1% de adolescentes do sexo masculino vai ao médico. Os pesquisadores afirmam que isso acaba tendo reflexos na vida adulta. Recomenda-se que o menino consulte um urologista ou um hebiatra (médico especializado em adolescentes) desde os 13 anos.

Atenção à saúde mental

Embora muitas pessoas digam que adolescentes são dramáticos, esse estigma não é verdadeiro. É uma fase de muitas descobertas e desafios, e a saúde mental precisa de atenção. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o suicídio é a terceira principal causa de morte entre adolescentes de 15 a 19 anos. Os pais também têm um papel muito importante nessa fase e devem ficar atentos aos sinais de alerta, como alterações de humor, autoagressão e ansiedade. O acompanhamento profissional de um psicólogo ou psiquiatra pode ser necessário e eficaz para ajudar o adolescente.

#SejaHomemSeCuide é o tema da campanha @novembroazuloficial do @institutolal , que incentiva os homens a cuidarem da saúde: Fazer o Check up anual, fazer o exame de próstata, ter uma alimentação saudável, praticar atividades físicas, não fumar, fazer sexo seguro, cuidar da saúde mental!

Deixe uma resposta