O desafio de educar o Pedrinho

Educar é um desafio! Antes de ser mãe, achava que seria moleza kkk Afinal, ele é uma criança e eu uma adulta capaz de lidar com qualquer situação da infância. Estava errada!

O Pedrinho está questionador, desafiador, quer tudo à sua maneira, dono da razão, e agora com 7 anos, esta última qualidade está em destaque: dono da razão.  Ele acha que sabe tudo e eu nada. (haja paciência!)

O que consola é saber que não estou sozinha neste barco. Ao conversar com outras mães, percebo que elas passam pelo mesmo. Umas menos, outras mais. Mas todas passam por estes momentos.

Só que nesse “cabo de guerra” onde meu filho puxa para um lado e eu para o outro, ás vezes perco a minha força. E antes que isso aconteça e ele suba na minha cabeça, eu uso algumas táticas. Umas que eu leio e outras que são inventadas por mim mesma kkk Toda mãe tem uma carta na manga, não é mesmo?

A primeira tática que eu inventei foi quando ele estava na fase do “NÃO” . Bastava eu dizer qualquer coisa, e a resposta era não. De tanto ouvir essa palavrinha, resolvi dizer a ele que a cada resposta NÃO dele, seria um NÃO meu para qualquer pedido … Fiz isso uma vez, e ele se assustou, repeti mais um vez, e outra, outra …. E adivinha? Ele parou de me responder com essa palavra nova de seu vocabulário kkk.

Precisamos aprender a dizer “Não”, mas na infância as crianças dizem pra tudo. Principalmente para comida, tarefas, etc

Quando o Pedrinho cresceu mais um pouco e já tinha algumas obrigações , como escovar dentes, recolher brinquedos, dormir cedo, etc. Começou a correria pela casa! Ele corria de mim e se escondia para não fazer estas coisas, principalmente pela manhã, naquela hora que você está atrasada para o trabalho rsrs

Foi aí, que conheci através de uma mãe da escola, o jogo das estrelinhas. Bendita estrelas kkk . Como ela estava passando pelo mesmo com o filho, a psicóloga da família sugeriu dar estrelas ao filho a cada tarefa que ele cumpria. Só ganhava estrela quando obedecia na hora 🙂 (delicia de momento). Não é que deu certo? O Pedrinho ficava doido para ganhar as estrelas, mass, como ele é esperto, passado um tempo ele começou a querer algo de presente, só as estrelas não estavam sendo mais interessante pra ele.

Bom, não rolou mais. Porque ele precisava entender o conceito da coisa, e não entrar na cultura da compensação. Parei com as estrelinhas … kkk

Mas aí, ganhei um quadro de tarefas e ali continha toda a rotina que ele deveria cumprir durante a semana. Ele ia preenchendo o quadro conforme cumpria cada uma. E ganhava carinhas felizes ou tristes. Desta maneira deu mais certo e escovar dentes pela manhã, tomar banho, colocar o uniforme sem correr de mim para ir para escola, virou hábito. Ufa 🙂

Chegamos aos 7 anos com mais obrigações e mais drama: arrumar a cama, o material escolar, sair do videogame para jantar, desligar o tablet para fazer lição de casa, enfim, entraram mais coisinhas “chatas” na rotina dele.  E ele argumenta muito mais agora, lembra?

Portanto, aprendi que ouvir a criança antes de estipular tarefas e deveres é importante para que ele possa exprimir seus sentimentos. Uma das coisas que ele reclamou nessa conversa é que o dia passa muito rápido e não dá tempo dele fazer as coisas de que gosta. Por isso, organizamos o tempo, estipulando horários para cada dever e dias para os eletrônicos…

Depois disso, fiz uma lista junto com ele e pendurei na porta do quarto, e está dando certo! Ás vezes ele esquece ou reclama, mas no geral tem entendido que isso faz parte do desenvolvimento dele, e que não significa menos brincadeiras e horas de lazer.

Não são excessos de obrigações, apenas tarefas que todas crianças precisam cumprir para serem adultos melhores. Afinal, o que eles aprendem quando a refeição é feita, a louça é lavada e a roupa é guardada sem que ele tenha que mexer um dedo?

Delegando algumas tarefas, estamos colaborando para a sua maturidade, responsabilidade, e confiança neles. Cada idade tem capacidade em colaborar de uma forma, sabia?

Aos 7 anos por exemplo, eles já sabem se vestir sozinho, abotoar a camisa, colocar os tênis, embora gostem que estejamos por perto. Estão cada vez mais autônomos, e isso é ótimo. Mas ainda precisam muito de nós.

Nas tarefas da casa,  eles já podem ajudar arrumando a cama, dobrar algumas roupas, esvaziar lixo do banheiro, guardar compras, pendurar roupa no varal, regar plantas, etc

O Pedrinho está pronto para começar a assumir pequenas responsabilidades 🙂

Assim, vamos caminhando nesse desafio que é educar os nossos filhos…

E por aí, como tem sido? Me conta, vou adorar saber..

Bjins

 

 

Deixe uma resposta