O poder das frutas! Como incluir os alimentos nas refeições das crianças

Natural, no suco, na vitamina, congelada ou em formatos fofos. Beatriz Schwan, nutricionista parceira da Campo Largo, lista as principais formas de introduzir as frutas na alimentação infantil.

Para muitos pais, a hora das refeições é um dos maiores desafios da rotina com crianças. Isso porque os pequenos não são muito acostumados a degustar diversos sabores e são mais resistentes na hora da mudança. Mas segundo Beatriz Schwan, apesar da dificuldade, é importante trabalhar a introdução alimentar com frutas desde os primeiros meses de vida, afinal de contas, é justamente nessa fase que elas precisam de nutrientes e vitaminas para um crescimento saudável. De acordo com os dados da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), depois do sexto mês de vida, o leite materno não é capaz de, sozinho, garantir todos os nutrientes que o bebê precisa. Por isso, papinhas de frutas, frutas em pedaços pequenos ou sucos 100% naturais, devem ser oferecidos.

Não sabe por onde começar? Com muita paciência e estratégias práticas, é possível transformar os hábitos alimentares dos baixinhos. Confira as dicas da Beatriz Schwan:

“Os sucos são uma ótima alternativa para as crianças. Além da praticidade, a fruta em formato líquido facilita a digestão e auxilia no reconhecimento de sabores”, comenta.

Segundo a nutricionista, não é recomendado que crianças menores de 2 anos consumam sorvetes. O ideal é que em dias quentes, as crianças comam as frutas em pedaços congelados ou no formato de picolé caseiro. Dessa forma a criança consegue ter um contato com a fruta em seu estado mais sólido. Para o preparo do picolé, basta bater a fruta com água ou leite e levar ao congelador.

As formas para corte de pães, massas e frutas em formatos fofos está facilitando a rotina de muitas famílias, principalmente na hora de montar as lancheiras. Essa dinâmica além de atrair os olhares e despertar a curiosidade dos pequenos, virou febre no TikTok. Hoje a plataforma possui uma rede de pessoas que mostram o passo a passo da montagem de um lanche nutritivo e ao mesmo tempo atrativo, sem exigir muito tempo e habilidades. “A principal dica é cortar as frutas, como melão, melancia e maçã, em formatos de animais ou objetos que a criança goste”, indica Beatriz.

Que tal um bolo caseiro de maça? Ou quem sabe, uma vitamina de mamão com laranja? As receitas são aliadas de muitos pais na hora da introdução alimentar. Isso porque a gastronomia permite que os ingredientes sejam explorados de diferentes formas, fazendo com que a criança descubra o seu jeito preferido de consumir tal alimento. “Para esse método é interessante convidar os pequenos para participarem do preparo na cozinha, pois essa dinâmica desencadeia o desejo de experimentar o que foi feito por ele(a)”

Deixe um comentário