O que os pais devem ​considerar ao decidir a melhor ​escola para os seus filhos?

Além das questões pedagógicas, outros fatores como o acolhimento da criança, atividades extracurriculares e metodologias que desenvolvam o senso crítico dos alunos devem ser analisados

Ao escolherem a escola ideal para as crianças é comum surgirem incertezas por parte dos pais. Entre elas está a análise em como a escola lida com a nova etapa de retomada das aulas presenciais e quais metodologias aplicadas para fazer os alunos se sentirem acolhidos. Essas dúvidas são cada vez mais recorrentes pela evolução na maneira de pensar dos pais em enxergarem a escola como um ambiente que está além de um local de ensino, mas que desempenha um papel fundamental na formação acadêmica e emocional da criança.

Para Regina Oliveira, fundadora da Rede Decisão, grupo educacional que opera escolas privadas de Educação Básica no Brasil, os pais devem levar a sério a responsabilidade sobre qual instituição de ensino escolher para os filhos, que deve ir além da análise de localização e mensalidade. “É preciso colocar na balança fatores, como: se a escola oferece garantias de que a criança será preparada para entrar em uma boa universidade, a rede dá uma formação artística ou ajuda a criança a desenvolver um senso crítico, e, dependendo do caso, quais atividades extracurriculares estão disponíveis aos alunos. Tudo isso, somado a um projeto pedagógico estruturado, definido e embasado em teorias de educação, são fundamentais na busca para determinar qual instituição de ensino matricular a criança”, opina.

Sobre o cenário pandêmico, Regina reforça a importância do acolhimento da instituição aos alunos. “A escola precisa estar preparada para acolher os estudantes, este é um ponto crucial para uma relação saudável entre aluno-escola. É nesta etapa que o discente é estimulado a superar os seus medos, ter mais autonomia e segurança,” reforça.

Educação do século 21

Uma das tendências educacionais é a socioemocional, que tem como premissa o desenvolvimento do aluno emocional e psicologicamente. Nisso, destacam-se valores sobre o autoconhecimento, resolução de conflitos, relacionamento interpessoal, entre outros. Portanto, os pais devem observar se a escola preza por esse tipo de educação, pois isso irá refletir na construção social e pessoal do aluno e no crescimento dele ao longo da vida.

Regina recomenda que os pais listem as suas prioridades e busquem referências. “Esta lista precisa conter, inclusive, características que uma escola não deve ter, além de checar referências da instituição por meio de pesquisas em sites e redes sociais, além de conversas com outros pais. Outro passo é conhecer a estrutura da instituição, inclusive com a presença dos filhos para avaliarem se a escola é compatível com as necessidades da criança”, finaliza. 

Deixe um comentário