O que posso fazer quando o meu filho tem um acesso de raiva?

image

Especialistas aconselham um método simples para cortar essas lutas: ignorar.

Tão simples assim? rs . Eu confesso que não é muito fácil, parece que ele vai se asfixiar no próprio choro, mas a verdade é que nada vai acontecer. Resolvi pesquisar isso, porque o Pedro já chegou a perder o ar ou engasgar como se fosse vomitar 🙁

A consideração mais importante que os especialistas dizem e a mais difícil, é a de não perder a paciência ou intimidar com punições, mas apenas deixá-lo, até que ele entenda que se comportar dessa maneira não vai conseguir o que deseja. Se a criança chora, chuta e grita , deixe os objetos numa distância para evitar machucados, mas temos que deixá-lo até se cansar e chegar à conclusão de que não vai adiantar nada.

Nada fará com que a birra não ocorra, por isso é melhor deixá-lo sozinho até que ele se acalme e quando você falar com ele e se expressar, mostre que você é desse jeito (sem gritar, chutar …) sim, nós podemos fazer o processo e explicar o que queremos em nossa linguagem muito direta e concisa, sempre adaptando à sua idade.

Neste momento, devemos também elogiá-lo quando ele consegue dominar a raiva, se acalmar ou se comunicar com vontade de cooperar.

Passei a fazer isso. E realmente funciona! Ele se acalma e se aproxima de mim, pedindo desculpas e dando beijinho. Nessa hora digo que aquele comportamento não é legal! Que o ‘Lobo Mau’ é que age assim, e ele logo entende e diz que ele é o ‘porquinho’, rs.

Adultos precisam ser um exemplo para eles, manter a calma em todos os momentos, sem gritar ou ter acessos de raiva. Nunca tem que bater, porque mostra à criança que perderam o controle e estão pedindo-lhe coisas que não fazem.

..dependendo do tipo de birra:

1 – Ignorar as birras motivadas pelo desejo de atrair a atenção ou se recusar a fazer algo.

As crianças às vezes querem fugir na hora de comer alguma coisa, ir a algum lugar, etc. Você vai ter que deixá-lo sozinho até passar.

É essencial não ceder às suas exigências. Não tente argumentar com ele. Basta dizer coisas como: “Vejo que você está muito zangado. Vou deixá-lo sozinho até que se acalme e queira falar”. A criança tem que se recuperar a controlar-se.

Após a birra, assumir uma atitude amigável e tentar normalizar as coisas.

2 – Para birras tipo agressiva ou destrutiva

Às vezes as birras agressivas são muito angustiantes para os pais ignorá-los. Nesses momentos, devemos implementar a tática de “time out”, ou seja, levá-lo para um lugar preparado para ele ficar só, com um assento para esse fim, deve ser calmo e chato. Deixe-o permanecer entre 2 e 5 minutos, dependendo da idade, com os mais velhos mais minutos.

Por Amparo Calandín
Psicólogo especializado na abordagem cognitivo-comportamental. Trabalha com crianças com diversos transtornos do desenvolvimento. Especialista em Psicologia. Escreve para o site cuidadoinfantil.net

Espero ter ajudado! Bjins e até amanhã.

Deixe uma resposta