O SEU FILHO SABE ESPERAR?

img_4216

Outro dia eu e o Pedrinho estávamos esperando para sermos atendidos em um restaurante e ele me perguntou “- Mamãe, o que eu vou ficar fazendo enquanto não chamam a gente ?” Olhei e respondi : “- Iremos esperar!”. E ele ficou reclamando que precisava fazer algo enquanto isso, e bem impaciente começou a fazer birra.

Foi nesse dia que eu percebi o quanto meu filhinho estava mal acostumado, e frequentemente ansioso ao ficar sem fazer nada, por isso, muitas vezes para não deixá-lo entediado, eu acabava dando o iPad para ele brincar (Errado!)

Com tantos compromissos , passeios, viagens , natação, escola no período integral com várias atividades, enfim, ele realmente não fica parado.

Mas desde que ele fez esta pergunta no restaurante, mudei muitas coisas. Principalmente os meus hábitos !

Estou ensinando a ele que aquela famosa horinha de não fazer nada é importante. E que ele precisa lidar com isso.

Vivenciar o tédio é bom porque ele gera a necessidade da criatividade para fazer alguma coisa interessante, além de possibilitar um descanso ao cérebro.

Segundo especialistas, para controlar a ansiedade infantil deve-se fazer com que ela se sinta segura e amparada. Temos algumas brincadeiras de adivinhações para estas horas por exemplo , onde nos divertimos juntos, e ele adora.

Como ensinar os filhos a esperar
Não adianta, não tem cartilha ou fórmula mágica para criar filhos mais pacientes – esse é um exercício diário, que deve ser trabalhado naquelas pequenas situações do cotidiano. Por exemplo, ao invés de aproveitar enquanto as crianças estão na escola para ir ao supermercado, vá com elas fazer as compras e explique o que vocês estão fazendo. “Na sala de espera de um consultório médico, invente alguma brincadeira para passar o tempo, que não envolva um celular. Brinque de procurar letras, de encontrar objetos de determinada cor Aproveite para conversar com seu filho”, aconselha Roberta Bento, especialista em aprendizagem baseada no funcionamento do cérebro pela Universidade da Califórnia e Duke University; e em aprendizagem cooperativa pelas Universidades de Minnesota e de San Diego. ( para o site Educar Para Crescer).

Portanto, chegar a um equilíbrio é fundamental e trabalhar a ansiedade aos poucos dentro de casa é um caminho para criar filhos mais pacientes e preparados para viver bem em sociedade.

beijinhos e até amanhã

Deixe uma resposta