Pediatras pedem respeito das autoridades e reprovam armas de brinquedos para crianças e adolescentes

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou na semana passada uma nota aos brasileiros em que reitera a importância de a população, em especial autoridades e personalidades públicas, respeitarem a legislação que exige a proteção dos direitos de crianças e adolescentes. O posicionamento ocorre logo após a divulgação de imagens do presidente da República, Jair Bolsonaro, em que aparece com uma arma de brinquedo em punho ao lado de uma criança.

No documento, a SBP lamenta que cenas como as exibidas às vésperas do Mês da Criança sejam cada vez mais frequentes e conclama as autoridades para uma reflexão sobre os efeitos destas ações de mídia e de marketing, que devem se basear na legislação e na ética, e nunca serem maiores que o compromisso com a dignidade da população brasileira.

“Ao contrário dos adultos, elas (as crianças) são incapazes de distinguir entre uma arma real e armas de brinquedo. Estudo recente mostrou que quase 60% dos integrantes de um grupo de crianças com idades entre 7 e 17 anos não souberam distinguir armas reais de armas de brinquedo. Não é por acaso que a cada 60 minutos uma criança ou adolescente morre em decorrência de ferimentos por arma de fogo no Brasil”, destaca a entidade.

Muitas pessoas não sabem, mas crianças de três anos de idade já são fortes o suficiente para puxar o gatilho de muitos revólveres.

A maioria dos casos relacionados a disparos acidentais envolvendo crianças e armas de fogo acontecem porque essas não estavam guardadas descarregadas e em locais trancados. Crianças podem encontrar armas escondidas ou colocadas embaixo da cama, em armários ou dispensas.

Além disso, elas já estão familiarizadas com esses objetos porque assistem TV ou talvez porque brinquem com armas de brinquedo. Entretanto, até os 10 anos de idade, elas não entendem as consequências de um disparo em outra pessoa, não têm plena capacidade de julgamento dos riscos e das regras de segurança sobre a manipulação de armas. Até os oito anos, elas ainda não conseguem distinguir entre armas reais e de brinquedo ou entender completamente as consequências de suas ações.

Dicas de prevenção (site Criança Segura):

  • De preferência, não tenha armas. A menos que sua profissão exija esse tipo de equipamento, desarme-se;
  • Se você possui uma arma, entenda o risco que está correndo e informe-se sobre as medidas de segurança necessárias para evitar problemas sérios;
  • Sempre guarde as armas de fogo descarregadas, travadas e fora do alcance das crianças;
  • Guarde as munições também em local trancado, separado da arma e longe do alcance das crianças;
  • Mantenha as chaves e as combinações da tranca ou cadeado escondidas em lugares separados das armas e munições;
  • Faça um curso de uso, manutenção e armazenamento seguro de armas;
  • Enfatize o perigo das armas para as crianças e expliquei que elas não são brinquedos;
  • Ensine as crianças a nunca tocarem em uma arma e a informarem a um adulto caso encontrem uma ou vejam outra criança com esse equipamento.

Fica o alerta!

Deixe um comentário