Prática de atividade física combate e previne a depressão

Estamos no #setembroamarelo (Mês de prevenção ao suicídio), por isso, é bom lembrar que fazer atividades físicas é um tratamento efetivo para depressão. 💛

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até 2020 a depressão será a principal doença mais incapacitante do mundo. A boa notícia é que existem tratamentos eficazes para combater e prevenir essa enfermidade, como a prática de atividade física.

A ciência confirma o papel da atividade física na prevenção e no controle da depressão, um mal que se alastra em proporções epidêmicas. Segundo os pesquisadores, estudos observacionais sugerem que pessoas ativas têm menos probabilidade de estar deprimidas.

Eu, por exemplo, treino na Academia Tem Esportes Itu e me sinto muito mais disposta quando estou em movimento. Quando não vou, sinto a diferença no ânimo, rsrs

Algumas seguidoras comentaram em um post no Instagram do blog a respeito do assunto:

“- Eu tenho TAG (transtorno de ansiedade generalizada) e há três meses faço exercícios e nunca mais senti ansiedade acima do normal. Exercício é vida! Salva vidas!!!“, Paloma.

“- A atividade física me ajudou muito na depressão“, Nathalia.

Durante a realização de exercícios físicos, o organismo libera dois hormônios essenciais para auxiliar no tratamento da depressão: a endorfina, popularmente conhecida como “hormônio da alegria”, por promover sensação de bem-estar, euforia e alívio das dores, e a dopamina, que apresenta efeito analgésico e tranquilizante. Ambos apresentam influência direta sobre o humor e as emoções. Pesquisadores afirmam que a prática de exercícios aeróbios [como andar, correr e nadar], de 20 a 40 minutos entre 120/140 batimentos cardíacos por minuto, duas vezes por semana, têm a capacidade de liberar B-endorfina. Exercícios ao ar livre proporcionam a produção de serotonina, um importante neurotransmissor que ajuda, entre outras funções, a regular nosso humor e a temperatura corporal. Os benefícios desse tipo de atividade são sensação de aumento de energia e motivação, juntamente com a diminuição da tensão, raiva, confusão mental e depressão.

Os benefícios da atividade física não se resumem somente a liberação dos hormônios, essa prática ajuda a minimizar o sofrimento psíquico e físico, além de oferecer a oportunidade de envolvimento social, elevação da autoestima e qualidade de vida. Dessa forma, é um instrumento de forte valor terapêutico quando aliado à psicoterapia e ao tratamento farmacológico – nesse caso, quando indicado por profissional especializado.

Bora lá?

O primeiro passo é começar a se mexer, dentro das suas possibilidades, para que a atitude vire um hábito. Daí, com o suor também vem a alegria. Ah! se não conseguir cumprir uma meta, não se culpe nem desista. Passe para o dia seguinte e siga adiante. O essencial é você se sentir feliz 🙂

Deixe um comentário