Provas: como ajudar o meu filho a estudar?

O Pedrinho está em época de provas, e começa aquele drama entre mãe e filho. Mais alguém passando por isso?

O drama aqui começa por causa dos horários, já que o Pedrinho tem a mania de querer deixar para última hora e ainda quer estudar rápido para poder voltar à sua diversão. E é aí que eu entro, educando, mostrando a ele que, se deixar para última hora, não dará tempo de estudar direito. Parece fácil, né? Mas não é! Simplesmente, porque até o ano passado estudar um dia antes da prova, estava ok. Mas agora (5o. ano do Fundamental I), o conteúdo aumentou e nós (vocês e eu) sabemos que a tendência é só piorar (ele não assimilou isso ainda, rs). Oh dó! 🙁

Lembro quando o Pedrinho trouxe a sua primeira lição de casa com quatro aninhos e me mostrou todo animado o que teria que fazer. O tempo passa e adoro acompanhar esse desenvolvimento dele, mas agora os desafios estão aumentando…

Bom, com a época de provas eu procuro ter paciência e faço o seguinte:

  • Explico a ele a responsabilidade de estudar direito;
  • Incentivo fazer resumos e estudar um pouco por dia, mesmo quando não tiver provas;
  • Deixo claro que depois que estudar poderá brincar;
  • Estipulo junto com ele um horário para estudar dois dias antes da prova, daí ele coloca o relógio para despertar na hora concordada. Feito isso, deixo ele se virar, se não, ficará dependente de estudar com alguém sempre;
  • Incentivo-o a estudar sozinho dando chance a ele de evoluir por contra própria;
  • Quando ele termina de estudar, faço perguntas, e o que for preciso estudar mais, ele reforça;

O Pedrinho é um ótimo aluno, responsável, dedicado, e sempre tira excelentes notas, mas ás vezes tem preguiça de começar os estudos ou fica com a cabeça no jogo que quer brincar no dia. Coisa de criança, né? rs

Muitas mamães já comentaram comigo que a hora do estudo vira uma verdadeira guerra dentro de casa. A situação piora quando na correria do dia, os pais não conseguem estar presentes no cotidiano educacional dos seus filhos.

A criança na fase escolar precisa da participação dos pais, não só quando apresenta algum problema, mas também nas atividades cotidianas. Segundo especialistas, o envolvimento dos pais se traduz em interesse e encorajamento, mas também em monitoramento diário; sem críticas nem ameaças, mas com firmeza.

Nós somos o suporte, e nossos filhos precisam saber que tem a quem recorrer em caso de dúvidas, e assim adquirem confiança nos estudos.

Acompanhando o passo a passo do desenvolvimento dos nossos filhos, contribuímos para que eles se tornem adultos mais preparados para a vida!

Espero ter ajudado. Boas provas para os nossos filhos e paciência para nós! 🙂

Deixe uma resposta