Quando começam as piadinhas na escola

As descobertas do Pedrinho estão vindo a todo vapor no primeiro ano do fundamental. Além das descobertas curriculares, como ler e escrever, ele já está tendo que lidar com novos sentimentos, como a timidez que eu já falei aqui, e agora, as piadinhas dos colegas da turma.

Como é duro ser mãe nessa hora e saber que ainda terão tantas situações desagradáveis para ele vivenciar.

O meu papel é tentar fazer com que ele passe por elas da melhor maneira possível, orientando para que ele lide com tudo sem sofrer. O difícil é se segurar, e não ser super-protetora nessas horas kkk, porque o colégio pode ser cruel. O bullyng está aí como prova disso ! Mas enquanto são piadinhas, zoeiras de amigos, brincadeiras saudáveis, fica mais fácil!

Mas o que é o Bullying?

O Bullying é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas. O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, que significa valentão, brigão. Mesmo sem uma denominação em português, é entendido como ameaça, tirania, opressão, intimidação, humilhação e maltrato.

Eu não sabia, mas esse tipo de ofensas podem iniciar na educação infantil, a partir dos 3 anos. Para evitar, é preciso que a escola valide os princípios de respeito desde cedo. É comum que as crianças menores briguem com o argumento de não gostar uma das outras, mas o educador precisa apontar que todos devem ser respeitados, independentemente de se dar bem ou não com uma pessoa, para que essa ideia não persista durante o desenvolvimento da criança.

O Pedrinho é uma criança sociável, divertida, e eu o ajudo a usar isso a seu favor. Quanto mais ele levar na esportiva as piadinhas, menos sofrerá. Nós sabemos que ignorar é a melhor coisa, mas as crianças ainda não entendem muito isso.

Outro dia, ele me contou que os amiguinhos estavam rindo do cabelo dele. Ficou todo incomodado com isso, e tive até que levá-lo para cortar. Mesmo eu explicando que a opinião dos outros não importa. Só que ele foi convencido de que o cabelo dele estava esquisito 🙁

Você tem o direito de ser esquisito !

Seria ótimo se todos entendessem que temos o direito de ser ou estar esquisito. O importante é sermos nós mesmos. Não mudar nossa essência por causa dos outros, só para agradar ou ser aceito. Sim, nós podemos ser esquisitos! Admiro algumas pessoas que chegam com roupas poucos comuns, cabelos fora do padrão, ou outra atitude incomum, sem se importar com o que outros irão pensar ou dizer a respeito delas.

Tento ensinar ao meu filhinho que quanto mais ele gostar dele e for autêntico, mais amizades verdadeiras ele terá por perto. E são essas que valem a pena! Que aceitam você como realmente é.

Por isso, viva a liberdade e o respeito às diferenças!

Beijinhos

 

Deixe uma resposta