Situações adversas podem ser o caminho para a felicidade

Este ano está sendo difícil para todos nós, e ao chegar no finalzinho dele surgem as reflexões do que passamos e não vivemos.

Como nos saímos com tudo isso que está acontecendo?

Eu e minha família podemos dizer que conseguimos fazer muitas coisas dentro do que foi nos apresentado: nos cuidamos e estamos com saúde, finalizamos os estudos com responsabilidade e parceria, fomos solidários, repensamos nossas vidas (inclusive o que achávamos estar bom) e percebemos o que precisa ser melhorado, adaptado ou reinventado.

Um ano que me fez lembrar o quanto eu adoro a praia e o quanto já quis morar perto dela (agora mais do que nunca); um ano que me fez questionar o home office; percebi, também, que eu e o meu filho precisamos um pouco de espaço (fazemos tudo juntos e isso cria muita dependência e falta de autonomia para ele); senti que apesar de amar muito meus pais, morar cada um na sua casa é a melhor opção nessa altura da vida deles e da minha (hahaha)…

Enfim, esse ano me mostrou muitas coisas e o principal é que precisamos melhorar nossas vidas, olhar para dentro de nós sempre, mas também perceber as necessidades dos outros.

Então, não foi um ano só dentro de casa, foi um ano de muito aprendizado, descobertas e crescimento!

Que o próximo ano possa fortalecer o que cada um de nós descobriu de bom dentro de si e o que precisa ser mudado para encontrarmos a tal da felicidade.

Lembrando que os especialistas em felicidade argumentaram que a felicidade não é um traço estável e imutável, mas algo flexível em que podemos trabalhar e, em última instância, nos empenhar. 

Feliz ano, Feliz vida para todos nós com muito empenho e movimento!

Pode vir 2021.

Deixe um comentário