Você sabe a diferença entre amamentação e aleitamento materno?

Basta descobrir que tem um bebê a caminho que nos deparamos com questionamentos como “Você vai amamentar?”, “Como pretende lidar com o aleitamento materno?” e “Você vai continuar amamentando quando voltar ao trabalho?”. Essas são algumas das dúvidas que rodeiam as mães já no início da gestação.

Por isso, é importante esclarecer que tanto o termo amamentação quanto aleitamento materno estão relacionados à lactância. Porém, existem algumas características que os diferenciam.

A amamentação por exemplo, é o ato da mãe dar a mama diretamente para o bebê, para que ele mesmo ordenhe o leite materno e se alimente por esta via. Já o aleitamento materno está relacionado a todas as formas de dar o leite humano para a criança e, geralmente, é o termo utilizado para definição de políticas públicas, campanhas e ações de incentivos a essa prática.

De acordo com a consultora em aleitamento materno parceira de Philips Avent, Eneida Souza, independente da definição, o importante é que as duas formas de oferecer o leite o materno são exclusivas. “A recomendação do Ministério da Saúde é que as crianças sejam alimentadas exclusivamente com o leite materno, durante os primeiros 6 meses de vida, independente da sucção ocorrer diretamente na mama ou não”, explica a profissional.

Há casos em que a mulher enfrenta muitos desafios como dor durante a amamentação, mastite, mamilos rachados, entre outros, e que a impossibilita de seguir com a amamentação direta nas mamas para que os seios possam se recuperar. Para estes casos e alguns outros como baixa ou alta produção de leite, é possível a mãe extrair o leite das mamas com um extrator e seguir com o plano alimentar dos pequenos. “O extrator é um grande aliado das mães, seja para ajudá-la a superar os desafios da fase como para auxiliá-la a manter o aleitamento materno nas primeiras saídas de casa e, até mesmo, no retorno ao trabalho”, reforça a profissional.

O leite materno é muito importante para o desenvolvimento físico e emocional do bebê, por isso, a dica para manter a produção do leite é ter uma boa alimentação, ingerir bastante líquido e extrair o leite materno a cada três horas, em posição confortável e ambiente tranquilo.

A amamentação e o aleitamento materno são um aprendizado para mãe e bebê que se estabelece com o passar do tempo. Além disso, é um ato que requer muito informação, auxílio, dedicação e incentivo de toda a família.

Eneida Souza é enfermeira pediatra, consultora em aleitamento materno pela Universidade da Califórnia em Angeles (UCLA-CA) e terapeuta sistêmica para família, casal, individual. Atualmente, é parceira de Philips Avent.

Deixe uma resposta