YOGA FORTALECE VINCULO ENTRE MÃES E BEBÊS

untitled3

Eu fiz Yoga na minha gestação e era tão tranquilizante !! Eu me sentia mais conectada ao meu bebê. Lembro que me fazia muito bem e me ajudou na respiração durante o parto normal.

Recentemente descobri que a Yoga é uma ótima prática para estreitar a relação entre mãe e bebê, além de proporcionar autoconhecimento e conscientização do novo papel que a mulher desempenha ao tornar-se mãe. Auxiliando-a a ter momentos para experimentar seu novo corpo e realidade, ao mesmo tempo em que se abre espaço para que a criança explore o mundo ao lado da mãe.

De acordo com Luiz Albertini, praticante, professor de yoga e idealizador do Yogaway, a atividade com o bebê é uma oportunidade de desenvolvimento neuromuscular e psicomotor para criança, despertando a maior consciência corporal e espacial. “Tudo se torna mais natural, pois a mãe tem a oportunidade de aprimorar o poder da observação e entender que a criança tem fases, picos de transformação, crescimento e mudanças constantes, o que irá ajudá-la a responder melhor às suas necessidades e tornar-se mais confiante em suas capacidades e habilidades maternas”, explica Albertini.

A prática pode ser iniciada 40 dias após o parto com diferenciais para as mulheres que passaram por cesárea ou parto normal, para que assim, seu pós-parto possa incluir momentos de autocuidado, sem precisar distanciar-se do seu bebê. Uma prática com um ritmo e sequências mais dinâmicas e descontraídas, que seguem o ritmo do bebê. As posturas são realizadas tanto com os bebês próximos como com sua participação com exercícios específicos para desenvolvimento motor. No final, a presença e participação dos bebês são um estímulo para as mães praticarem e tornam tudo mais leve e divertido!

Juntos irão desenvolver-se e criar uma realidade muito mais harmônica, prazerosa e benéfica para os dois, principalmente ao bebê, que está sendo exposto a movimentos corporais, respirações e interações preciosas com sua mãe através do Yoga. Enquanto os bebês aprendem e desenvolvem-se muito através da observação e da liberdade para movimentar-se, desenvolvendo também maior confiança para se expressar, engatinhar, sentar e andar. Em contrapartida, a mãe recupera seu tônus muscular, fortalece o abdômen, períneo e assoalho pélvico, além de alongar e flexibilizar seu corpo, enquanto dedica um tempo para si em total conexão e proximidade do seu bebê.

Como o bebê está envolvido na prática, ela deve se estender pelo tempo que estiver bom, confortável e agradável para os dois. Cada mãe e bebê devem definir o tempo ideal para ser proveitoso para ambos” explica Albertini. Geralmente, a prática do Baby Yoga, estende-se até os 6 meses seguintes do pós-parto ou até quando for desejável para os dois.

O Yogaway, primeiro portal com Sequence Builder em português, inglês e espanhol, apresenta o segmento de Baby Yoga composto por uma sequência prática para mãe e bebê. Confira: www.yogaway.com

beijinhos!

 

Deixe uma resposta